Publicado em

Ser empreendedor também é aproveitar insights que podem indicar uma nova oportunidade de negócios. Foi assim que Fabio Bianco Barbeiro, 40 anos, decidiu, em 2012, trazer para São Paulo a única filial no mundo da casa noturna Sutton, de Barcelona (Espanha). A partir da balada com melhores DJs europeus e em ambiente aberto, com rooftop – uma tendência global neste tipo de entretenimento –, Fabio e seu irmão Eduardo, 38 anos, que já eram sócios em outros empreendimentos do ramo, criaram um modelo que reúne um clube que apresenta os DJs mais badalados da Europa, gastronomia – Lavianna Restaurante Espanhol – e espaço para eventos.

Selva de pedra vista de cima

“Aqui tem música boa, alta gastronomia e a vista mais bonita de São Paulo, da ‘selva de pedra’ vista de cima”, comenta Fabio, CEO e sócio do empreendimento, em um dos endereço corporativo diferenciado em uma das avenidas com concentração de imóveis de alto padrão, a Faria Lima. Tudo voltado às classes A e B. Com mais 14 investidores, os irmãos Barbeiro esperam cobrir em 2019 o investimento inicial de R$ 4 milhões para abertura da casa, que só aconteceu em agosto de 2014. “Achávamos impossível uma das maiores cidades do mundo não ter uma boate”, diz Fabio.

Balada, restaurante e eventos

Agora, eles se preparam para dar o próximo passo. “Estamos perto de começar a expansão para levar a marca ao Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Salvador e algumas cidades do interior de São Paulo”, diz Eduardo, encarregado da parte operacional dos três espaços da Sutton. Os dois irmãos apostam no modelo que criaram com a Sutton, reunindo no mesmo espaço um restaurante, uma balada jovem e um local para eventos e promoção de network. “Os clubes, sucesso vinte anos atrás, juntavam baladas com gastronomia. Como tudo é cíclico, isso voltou”, acrescenta.

Das festinhas ao clube classe A

Como ninguém, Fabio e Eduardo acompanharam as transformações das casas noturnas. Ainda adolescentes em bairros paulistanos, os irmãos Barbeiro começaram realizando festas para os colegas, depois enveredaram para o universo de eventos de casamento, evoluíram para os de grandes públicos como o Pepsi Day Club, em 2008, depois avançaram criando a boate Lotus – que durou apenas dois anos –, até apostar no Café de la Musique no Guarujá, no litoral paulista, vendida algum tempo depois, entre outros empreendimentos.

‘Pão e circo não morrem nunca’

“O pão e o circo não morrem nunca”, afirma Fabio para ressaltar que não teme pelo fim desse tipo de entretenimento, apesar das novidades decorrentes das transformações tecnológicas e, em decorrência, do comportamento dos consumidores. “As baladas podem mudar de estilo, as músicas preferidas também, mas as pessoas vão continuar celebrando casamentos, aniversários, conquistas, bem como as empresas continuarão reunindo seus clientes para ampliar relacionamento. Existem coisas que não mudam assim”, sublinha Fabio.

R$ 37 milhões em 2018

A organização mundial BNI (Business Network International), grupo de networking internacional referência em negócios, tem sido alternativa para pequenos e médios empresários, especialmente na capital paulista. Só em 2018, os 14 grupos ativos na cidade faturaram, juntos, R$ 37 milhões. Um dos grupos mais antigos, o BNI Premier, localizado na região central, faturou mais de R$ 3 milhões com cadeiras de cerca de 45 profissionais ocupadas. A BNI foi fundada nos Estados Unidos por Ivan Misner em 1985. Chegou ao Brasil em 2009 por Marcos Martins. Só na capital paulista, além dos grupos ativos – todos sob a supervisão local de Camila Nasser--, existem ainda mais quatro em formação. A organização ainda tem grupos fora da cidade de São Paulo e no Brasil inteiro, além dos grupos localizados no mundo, como Índia.  A organização já faturou US$ 15,5 bilhões de negócios entre membros em todo o mundo.

Auditoria (I)

O país vive um momento histórico, na busca por fortalecer as estruturas de governança corporativas de empresas públicas e privadas e a atuação de auditores internos nesse processo é crucial, afirma Paulo Gomes, diretor-geral do Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil). Segundo ele, a carreira tem conquistado respeito e valorização nos últimos anos, assim como outras profissões do chamado sistema de integridade, que contemplam áreas de controles internos e compliance.

Auditoria (II)

“Nessa nova gestão intensificaremos o papel do Instituto, para ser uma fonte de conhecimentos e capacitação para que os auditores possam estar preparados para esse aquecimento do mercado. É necessário que os profissionais invistam em atualizações e certificações para estarem aptos a enfrentarem desafios como Big Data e Inteligência Artificial”, comenta. A categoria prevê aumento significativo na busca de empresas que pretendem conquistar o QA – Quality Assessment – a principal certificação internacional das áreas de auditoria interna em corporações. Essa avaliação e validação realizada pelo IIA Brasil, garante que as áreas auditadas estejam estruturadas de acordo com as normas principais recomendadas pelo The Institute of Internal Auditors, o principal organismo de auditoria do mundo.

Última fase do eSocial

A partir de julho, as companhias brasileiras que faturaram mais de R$ 78 milhões em 2016, precisarão cumprir a quinta e última etapa do eSocial, que trata sobre Saúde e Segurança do Trabalho (SST) e promete ser uma das mais complexas de todo o projeto. Segundo a gerente de planejamento da LG lugar de gente, empresa líder em tecnologia para gestão de RH no Brasil, Sáttila Silva, essa fase traz inúmeros desafios porque, além do RH, envolve outra área, que é a Medicina e Segurança do Trabalho. “Geralmente, os processos desse departamento não são interligados com as atividades de gestão de pessoas. Além disso, boa parte das organizações terceirizam essas atividades médicas”, explica. Silva esclarece que os riscos para os negócios que terceirizam a área médica são ainda maiores, já que o prestador pode desobedecer os prazos e as informações podem não estar de acordo com a legislação. “O eSocial vai evidenciar os exames que não foram cumpridos dentro da data estabelecida, por exemplo. Esse cenário, por envolver terceiros, eleva o risco de autuação das empresas”.

Estreitar laços com RH

A gerente da LG lugar de gente enfatiza que as corporações precisarão tornar esses processos formais e estreitar o relacionamento com a área de RH para aprender com a experiência desse setor, já habituado ao envio periódico de  informações trabalhistas. Também é importante estabelecer cronogramas internos de trabalho, sempre alinhados aos prazos do governo federal. “Com o eSocial, a auditoria vai ser feita de forma eletrônica e as multas relacionadas à Medicina e Segurança do Trabalho são mais caras do que as penalidades das rotinas de folha de pagamento”, destaca Silva. 

Sucata brasileira

Os preços da sucata ferrosa brasileira despencaram entre janeiro e fevereiro, em grande parte devido à demanda mais fraca e ao desânimo do mercado. Conforme fontes do setor, consultadas pela S&P Global Platts, agência americana especializada em fornecer preços-referência e benchmarks aos mercados de commodities, as usinas siderúrgicas começaram a reduzir as ofertas de compra para a sucata ferrosa em dezembro devido a uma queda na produção de aço brasileiro. “O movimento ficou mais forte quando os preços de exportação do ferro-gusa brasileiro caíram em janeiro em meio às baixas atividades de negócios internacionais, aumentando assim a disponibilidade do produto no mercado doméstico”, disse um participante do mercado de aço, citando o aumento na utilização de ferro-gusa, em vez de sucata, no processo de produção de aço nos primeiros meses do ano.

Matemática com humor

Daniel Ferretto, o Professor Ferretto, também não gostava de matemática. Hoje ensina os jovens pelas redes sociais (Foto:Divulgação)
 

Com os canais do Youtube em alta, com inúmeros influenciadores digitais com milhões de seguidores ao abordarem os mais diversos assuntos, Daniel Ferretto, mais conhecido como Professor Ferretto, é um desses "fenômenos" da internet, Empreendedor, o ex-policial federal decidiu, em 2014, gravar, de maneira despretensiosa, vídeos sobre um assunto nada popular entre os jovens: a matemática. Em seu canal, o gaúcho ensina a matéria de uma forma bem-humorada e descontraída e hoje, com mais de 1,8 milhão de inscritos, é considerado o maior influenciador de matemática da América Latina e referência no assunto, acumulando também mais de 400 mil seguidores em outras redes sociais. O Professor Ferretto possui também uma plataforma completa de estudos online sobre a disciplina, desde o nível mais básico até o avançado, com planos de estudos personalizados e predefinidos, estatísticas, simulados semanais, entre outros. Mas, para chegar aqui, foi uma longa história.

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br