Publicado em

Nove anos entre planejamento e execução de um empreendimento com investimento de R$ 12 milhões, com móveis de design próprio e decoração com obras de vários artistas. Em um ano de operação, a busca da perfeição na gestão. Tudo para transformar o Tessen - Restaurante e Lounge, na capital paulista, aberto há um ano, em uma marca para ser exportada ainda neste ano. “Em vez de trazermos de fora um nome conceituado para os públicos A e B, estamos construindo um modelo que vai além de um restaurante moderno: reúne uma experiência gastronômica e de entretenimento em um só lugar”, diz Fernando Espíndola.

Primeiro projeto reúne restaurante...

Fernando Espíndola, 39 anos, e seu irmão Carlos Espíndola, 37 anos, são os sócios fundadores do Tessen, que contou com aporte de outros seis sócios, todos jovens empreendedores, no auge da crise econômica, em 2015. Dos oito sócios, os irmãos Espíndola, que anos atrás tiveram uma rápida passagem pelo ramo, apenas Rodrigo Nakamori, sócio do restaurante Nakka, era ligado à gastronomia. “Estamos fincando o pé no nosso primeiro projeto para despontar como um grupo forte que veio ampliar o profissionalismo no mercado da gastronomia”, diz Fernando.

...entretenimento e eventos corporativos

A meta de construir marcas de referência já conta com um segundo empreendimento, também voltado para consumidores A e B, mas com foco no mercado interno. “Ao contrário do Tessen, que temos interesse em levar para uma metrópole dos Estados Unidos ou Europa, por ser um modelo mais complexo e caro, nosso segundo investimento será mais fácil de ser replicado em cidades brasileiras”, explica Fernando, sem dar mais detalhes. Além de oportunidades na gastronomia e entretenimento, os sócios também têm planos futuros na hotelaria.

Tradicional, porém moderno e luxuoso

O projeto levou seis anos para ser planejado e executado, com ambiente pensado para oferecer uma ‘experiência gastronômica’. (Foto: Paulo Bareta)
 

“Nosso objetivo é ganhar dinheiro. Para isso é preciso investir também na inteligência dos negócios, e é o que estamos fazendo”, ressalta Fernando. É necessário ainda treinar mão de obra e, no caso do Tessen, ter equipe de profissionais com visão abrangente, já que a casa é um misto de restaurante, com 110 lugares, de “DNA de comida japonesa contemporânea”, mas com um cardápio de cozinha internacional com toque de francesa, com um roof top de até 110 lugares para eventos sociais e corporativos, e uma casa de shows.

Sushi com carne wagyu e foie gras

No térreo, o braço de entretenimento da casa, um lounge com programação diversificada – piano, jazz e baladas com DJs –, com capacidade para até 200 pessoas. “Resgatamos a comida japonesa tradicional, mas em um ambiente moderno e luxuoso para jovens e todos que querem desfrutar de um cardápio único. Temos sushi para quem come e para quem não come, este feito de carne wagyu e foie gras”, diz o empresário, autor de vários pratos em parceria com o chef Thiago Maeda. Embora com tíquete médio de R$ 150,00, o almoço executivo de segunda a sexta-feira sai a R$ 69,00.

Moradias reformadas

Impactar vidas por meio da transformação de casas de regiões carentes, a Amanco, marca comercial da Mexichem, líder mundial em tubos e conexões plásticas, renovou parceria com o Moradigna, negócio social criado para ajudar a reduzir o déficit habitacional no Brasil. A contribuição se dá por meio da doação de produtos do portfólio da Amanco, para as reformas promovidas pela iniciativa, entre eles tubos e conexões de PVC para água fria e esgoto, caixas d’água e acessórios como válvulas de pia, sifões e engates flexíveis. Já foram realizadas cerca de 300 reformas desde o início da parceria, em fevereiro de 2017. O projeto pretende ainda realizar, até 2020, mais de 3 mil obras, com 12 mil pessoas atendidas. Por enquanto, o Moradigna atende toda a região da Zona Leste de São Paulo. A meta é alcançar regiões carentes de moradia em outras cidades.

Foco no Sul

Com foco no Rio Grande do Sul para expandir suas operações, o grupo paranaense de turismo Arbaitman estima crescer 18% em 2019. O faturamento previsto com as três empresas –  Maringá Turismo, com foco em viagem corporativa e de lazer; Central de Eventos, voltada a eventos; e Lemontech, empresa de tecnologia voltada para Viagem corporative – deve alcançar R$ 1,2 bilhão, segundo Demetrius Miguel, diretor de Relacionamento e Novos Negócios da Maringá Turismo. “A região Sul é um polo estratégico para atendermos a crescente demanda e realizarmos trabalho personalizado”, afirma Miguel. Os escritórios do Arbaitman estão em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba.

*Liliana Lavoratti é editora de fechamento

liliana@dci.com.br