Publicado em

O grupo Lugano, que detém a marca de chocolate fabricado em Gramado (RS) e a de cerveja Rasen, deu novos passos para implementar o plano de expansão no Brasil, China e, no futuro, nos EUA. Com aporte de R$ 4,5 milhões, a empresa quer chegar ao fim do ano com 50 lojas franqueadas no País e fechar 2019 com 200 unidades novas no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. “Apostamos em um modelo diferenciado, unindo tradição e qualidade construídas em 42 anos, com algo inexistente para consumidores, que é a junção de loja de chocolates com cafeteria”, diz à Plano de Voo Guilherme Schwingel Luz, diretor do grupo e 3ª geração dos fundadores.

Tendência do consumo

De olho na tendência do consumo, que é aglutinar em um único ponto de venda várias funcionalidades, a Lugano montou um modelo de loja que vende vários produtos de chocolate, mas também oferta tudo que uma cafeteria tem, como doces e salgados. “Hoje, uma farmácia é quase um minimercado. Mas continuamos tendo uma loja de chocolates que vende no máximo um cafezinho”, diz Schwingel Luz. Atualmente, a marca tem 25 lojas no País. O plano de expansão inclui máster franqueados em sete estados e custo de unidade franqueada em torno de R$ 250 mil.

Loja conceito

O máster franqueado na capital paulista e também sócio minoritário da operação franqueadora Lugano, o empresário Rafa Prado, diz que abrirá uma loja conceito nos Jardins, bairro de classe alta, para servir de exemplo aos potenciais franqueados. Entusiasta do projeto, que conheceu através de grupos de empreendedores criados por ele, Prado ressalta: dos 6 milhões de turistas que visitam Gramado por ano, 2 milhões passam pela Lugano, que inclui o 1º parque de chocolate das Américas. Um mercado tão promissor quanto o da China, um dos focos de distribuição da empresa, para onde já foi vendido um contêiner de chocolates.

Um match na contratação

A crescente inserção das novas tecnologias na sociedade traz mudanças na forma como as empresas interagem com seus colaboradores. Para que essa evolução aconteça no momento da contratação, a Tamboro, startup de inovação em educação, criou a ferramenta Tamboro Match para selecionar candidatos a partir das características, as chamadas soft skills. Utilizando a estratégia de gamificação, ou seja, uma dinâmica semelhante a um jogo, a Tamboro prepara uma série de desafios a serem conquistados pelos candidatos.

Toneladas de recicláveis

Em 2017, a construtora Even coletou mais de 9,6 toneladas de materiais recicláveis com a Ação Vizinho, projeto de engajamento da comunidade por meio de coleta seletiva nas obras da empresa. A Even coloca displays de coleta seletiva em seus tapumes e incentiva a vizinhança a descartar o lixo nesses locais. Hoje, são cerca de cinco obras em São Paulo que contam com o projeto. Em 2017, a iniciativa contribuiu para a preservação de cerca 179 metros quadrados de florestas, 101.980 litros de água, 3.326 litros de petróleo e 34 quilos de minério de ferro.

Inversão da lógica

 “A tributação dos serviços de telecomunicações segue uma lógica invertida: tributa-se muito aquilo que é utilizado de forma intensa por toda a sociedade. Enquanto as telecomunicações têm alíquota média de 27% de ICMS, as joias, que são um bem supérfluo, são tributadas em 18%. Por isso é preciso rever o modelo, seja legislativamente, seja no âmbito do Judiciário.” O comentário é do professor André Mendes Moreira, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e sócio do escritório Sacha Calmon Misabel Derzi Consultores e Advogados. Esta é uma das questões que o advogado tributarista irá abordar na conferência “Tributação em Telecomunicações – Serviços Essenciais ou Máquina de Arrecadação?”, que ele fará amanhã (22) no evento Painel Telebrasil 2018, em Brasília-DF.

 Riscos reputacionais

 Empresas estão expostas a riscos reputacionais e de imagem quando não desenvolvem políticas corporativas de garantia dos direitos dos consumidores.  A avaliação é da advogada Fabíola Meira, sócia coordenadora do Departamento de Relações de Consumo do Braga Nascimento e Zilio Advogados. Ela participará como expositora do painel com o tema “Compliance em Direito do Consumidor: Tendências”, no Congresso Brasileiro de Direito do Consumidor, que acontece em São Paulo, de hoje a quarta (23). O evento vai reunir os maiores especialistas do país para discutir temas polêmicos que interessam para empresas e clientes. A expectativa é que tenha de 800 a mil participantes. O tema geral do congresso deste ano é “O direito do consumidor e a sociedade da informação”.

Estratégias para a Saúde

A ABQV realiza de ontem a amanhã (22), em São Paulo, o Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, o maior evento que envolve a gestão das empresas e seus colaboradores, com a participação do pesquisador global Ron Goetzel, da Johns Hopkins University (EUA), entre os maiores nomes em programas corporativos de qualidade de vida no trabalho no mundo. Estão sendo apresentados os principais avanços do setor, na avaliação de programas de saúde nas empresas, através de evidências científicas aliadas à gestão no dia-a-dia das organizações públicas e privadas, objetivo é ampliar a visão da saúde como estratégica nas organizações no Brasil. De acordo com o Instituto de Saúde Suplementar, as despesas assistenciais dos planos de saúde devem atingir R$ 430 bilhões até 2030.

Liliana Lavoratti é editora de fechamento

liliana@dci.com.br