Publicado em

Protagonista do período de crescimento econômico no país entre 2004 e 2014, a classe C – que chegou a representar 58% dos brasileiros – está mais consciente após enfrentar a recessão econômica nos últimos anos. A constatação está em levantamento da consultoria Ponte Estratégia: 61% desses consumidores estão mais cautelosos na hora de gastar, 65,2% aprenderam a economizar e 25,8% a reclamar pelos seus direitos. Hoje, as pessoas estão mais atentas às promoções, exigem produtos e serviços melhores e completos, com qualidade e preço acessível, as empresas que desejam fisgar esse público precisam se desdobrar para atender suas demandas.

Consumidor cauteloso e exigente

Diante dessa realidade, as marcas buscam estratégias de produtos e serviços que cabem no bolso dessa parcela da população, considerando a preocupação com endividamento e corte de gastos. “O consumidor da classe C é consciente e sabe o que quer. Hoje, ele pesquisa, compara, analisa e escolhe a empresa pelo preço e também pela qualidade, atendimento e demais vantagens. É um público que impacta diretamente no negócio”, afirma João Paulo Magalhães, diretor comercial do Cemitério Colina dos Ipês.

Negócio sem tabu da morte

Para driblar o tabu ainda existente em torno do luto, a empresa desenvolveu o deathcare, com assistência às famílias em um momento difícil como é o da perda de familiar. Além disso, o cemitério, localizado em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, possui planos funerários específicos para a classe C, com valores a partir de R$ 55 mensais e que atendem até dez pessoas. O público-alvo é principalmente os moradores do munícipio e Zona Leste de São Paulo. E a estratégia deu certo: o faturamento deve ser de R$ 8 milhões neste ano, com crescimento médio anual de 20%.

Classe média também gosta de flores

Giuliana Flores também está de olho no público consciente da classe C, e criou uma marca com foco no atendimento desta faixa econômica, oferecendo produtos com preços mais em conta. A Nova Flor nasceu em 2005 e segue a mesma dinâmica da marca mais famosa do e-commerce, que atende majoritariamente classes A e B. Ela oferece arranjos, flores e cestas de presentes, mas com valores menores e pagamento facilitado. “A marca nasceu para atender justamente o consumidor da classe C, com características diferentes”, diz Clovis Souza, fundador da Giuliana Flores.

Desbancarizados, porém com cartão

O aumento do consumo e da mudança de hábito da classe C na hora de consumir fez com que este grupo demandasse novas soluções de pagamento, para adquirir diferentes produtos e serviços. “É preciso estar atento à movimentação do mercado para identificar novos métodos que facilitam a vida das pessoas”, comenta Paulo Kulikovsky, CEO da Acesso, especializada em soluções de pagamentos. A empresa nasceu em 2010 para oferecer serviços a desbancarizados. O cartão garante controle dos gastos e liberdade no momento da compra.

Terceirização do marketing

A Set Integrative chega ao mercado para aliviar a área de marketing de todo o trabalho operacional que toma grande parte do tempo estratégico dos profissionais. A empresa nacional opera no mercado há poucos meses, com a proposta de cuidar, total ou parcialmente, da gestão de produção gráfica, entre outros diferentes serviços que permeiam a rotina das áreas de marketing. “Atuamos como empresa terceirizada, liberando os profissionais de marketing da gestão das tarefas rotineiras, para concentrarem-se nas atividades estratégicas e assim alcançarem melhores resultados e eficiência na produção e execução de serviços”, explica Eduardo Paschoa, sócio e fundador da empresa.

Brasil estratégico

Mercado cada vez mais estratégico para as multinacionais, inclusive da área de Tecnologia da Informação, o Brasil vem atraindo novos investimentos. Ainda mais porque os brasileiros gostam de experimentar novas mídias sociais. A Ingram Micro Brasil, subsidiária da maior distribuidora mundial de TI, acaba de anunciar parceria com a Genesys, líder global em soluções, softwares e serviços para contact centers e atendimento ao cliente, para distribuir, com exclusividade no Brasil, as soluções omnichannel para contact centers da Genesys. “O Brasil é um mercado estratégico e a Ingram Micro será fundamental para nos ajudar a escalar o modelo de atuação para os demais países da América Latina”, diz Diego Palmieri, diretor de canais da Genesys para a América Latina.

Recompensa o pioneirismo