Publicado em

Atualizado em

O avanço da transformação digital exige, cada vez mais, produtos que otimizem as plataformas digitais das empresas, implantadas nos últimos cinco anos. “O momento é de olhar a inovação como um todo para que a tecnologia ofereça ciclos mais confiáveis na operação, melhorando a performance digital”, afirma Verner Heidrich, sócio, diretor de Operações e principal executivo da DB em São Paulo. E surfando nessa onda – de usar o core business a seu favor e ser protagonista de sua própria transformação –, a DBServer, empresa gaúcha de 26 anos com 600 colaboradores, quer crescer ao menos 300% só no mercado de São Paulo em 2019.

Reinvenção começa em casa

Sediada em Porto Alegre (RS) e há dois anos em São Paulo, a DBServer desenvolve um conjunto de soluções personalizadas e capazes de realizar a transformação digital de empresas de grande porte. “Estamos sempre inovando e nos reinventando, afinal, somos uma empresa que opera a transformação em nossos clientes, então, estamos acostumados a lidar com – e liderar –mudanças”, enfatiza Heidrich. Nessa jornada, explica o executivo, o Build entra com a segurança e a qualidade no desenvolvimento das soluções e o Design, com a visão e inovação para o futuro.

Na era do DevOps

No sentido de integrar a inovação e TI à área de negócios, os clientes maduros na jornada da transformação digital já demandam o DevOps – termo que deriva da junção das palavras "desenvolvimento" e "operações"; uma prática de engenharia de software com objetivo de unificar o desenvolvimento de software e a operação de software. Companhias com maior performance digital, como Netflix e Amazon, utilizam o DevOps, segundo Heidrich. “Esses recursos agilizam as entregas”, complementa o sócio, que divide a propriedade da DB com Eduardo Peres e Mário Bastos.

Desenvolver a coisa certa

No embalo das novidades da empresa estão os novos contratos fechados com grandes marcas como Zurich Seguros, O Boticário, Rede Carrefour e Dasa Diagnósticos. Dentro de suas necessidades especificidades, cada uma delas poderá experimentar alguma solução do novo pacote de serviços da DB, batizado de Design + Build The Future. Um dos diferenciais da empresa, segundo o diretor, é ajudar os clientes a entenderem o que precisam para operar a transformação de seus negócios. “Não basta só desenvolver do jeito certo, é preciso encontrar a coisa certa.”

Crescer 300% em 2019

As metas da empresa, que cresceu ao ritmo de 20% ao ano desde sua função, no início dos anos 1990, são bastante ousadas para a sede paulista: um incremento de 300% em relação ao ano passado. A DB também valoriza a diversidade no trabalho. Dos quase 600 profissionais espalhados nas sedes gaúcha e paulista, além de pontos estratégicos em Curitiba/PR e em instalações de clientes, a força feminina na DB é representada por 56% de mulheres em funções de liderança em diversas áreas da empresa.

Mercado em expansão

O segmento de dispositivos médicos cresceu 0,5% no primeiro trimestre deste ano, comparado a igual período de 2018, segundo Boletim Econômico da Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS). O número positivo resulta, principalmente, da produção doméstica, com alta de 9,9%. Já as importações recuaram 5,7%, com US$ 1,3 bilhão em negócios. “Apesar da desaceleração no crescimento, os resultados são satisfatórios, diante da realidade econômica do país e queda acumulada de 0,7% na produção industrial brasileira, nos três primeiros meses do ano”, afirma o diretor-executivo da ABIIS, José Márcio Cerqueira Gomes. O avanço no número de novos hospitais e serviços de diagnóstico explica o incremento. De janeiro a março deste ano, foram abertos 280 novos estabelecimentos dedicados à atividade de complementação de serviços de diagnóstico e terapia e 44 hospitais. O mercado de trabalho também acompanha o aquecimento. Foram abertas 1850 vagas nas atividades industriais e comerciais do setor de Dispositivos Médicos, totalizando o contingente de 140.790 trabalhadores.

IA para a fotografia digital

Uma as líderes na impressão fotográfica da América Latina, a Digipix traz ao mercado brasileiro um produto inédito e exclusivo capaz de criar fotolivros com um único click. Com investimento de cerca de US$ 1 milhão e mais de um ano de pesquisa e estudo, o grupo fechou parceria com uma empresa de Cingapura, a  photobook.ai, para desenvolver uma tecnologia de ponta, que usa inteligência artificial (IA). Batizado d.book, o aplicativo seleciona as melhores fotos, no intervalo definido pelo usuário, e diagrama automaticamente o fotolivro em minutos. Marco Perlman, CEO da Digipix, aposta que o aplicativo aumentará em mais de 20% as vendas de fotolivros pela facilidade da ferramenta. “Existia no mercado uma carência a ser suprida, identificamos essa necessidade e fomos em busca da solução. Há um ano e meio nos juntamos com parceiros de Cingapura, que desenvolvem uma tecnologia de ponta na utilização de inteligência artificial e incluímos toda a nossa expertise em álbuns, fotolivros, diagramação e branding no aplicativo d.book”, explica Perlman.

Rumo ao equilíbrio

O regime de previdência complementar já vigora no município de Osasco (SP). O prefeito Rogério Lins sancionou a Lei Complementar 357/2019, que implanta o benefício para os funcionários públicos e estabelece o teto de R$ 5.839,45 para as aposentadorias dos servidores. Expectativa é que a medida, que integra o texto da reforma aprovada na Câmara dos Deputados em Brasília, ajudará a garantir o equilíbrio e a sustentabilidade do sistema previdenciário. O texto legal prevê a assinatura de convênio de adesão ao plano multipatrocinado da Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom), que assumirá o gerenciamento dos recursos dos participantes de Osasco, a custo acessível. A decisão de aderir à entidade foi baseada em estudos realizados pelo Instituto de Previdência do Município de Osasco (Ipmo), com base em fatores como redução de despesas operacionais e a experiência acumulada da Fundação.

Expansão em São Paulo

A Mandaê está expandido sua área de atuação no Estado de São Paulo. Agora, além da capital, região metropolitana e municípios como Franca e Campinas, que já atende desde o ano passado, a plataforma logística passa a oferecer suas soluções para e-commerces de Americana, Bauru, Itu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Salto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba. “A abertura dessas praças acontece em um momento em que os lojistas estão enfrentando dificuldades com gargalos logísticos”, diz o CEO da Mandaê, Marcelo Fujimoto. Além de reduzir custos logísticos e melhorar a qualidade das entregas, a Mandaê usa algoritmos inteligentes para oferecer prazos e taxas de fretes mais competitivas em um processo logístico simplificado. “Somos a primeira plataforma logística no mundo capaz de conectar as mais variadas etapas do supply chain. Isso nos permite maximizar a qualidade e a eficiência das entregas como nenhuma outra empresa desse setor é capaz”, complementa Fujimoto.

De gaze em gaze

A Sanfarma, uma das maiores indústrias farmacêuticas do Brasil, se destacou no relatório Close Up Internacional, um dos mais conceituados do mundo no seu setor de atuação. A pesquisa revelou que a empresa cresceu 30% no último ano e a destacou como uma das 15 maiores corporações do segmento não medicamentos. Líder de vendas em vários Estados, com mais de 4,5 milhões de produtos vendidos – dentre os quais “marca própria” para várias varejistas -, a corporação conquistou a terceira posição no ranking das marcas mais vendidas do Brasil. Além disso, está entre os Top 10 em volume com os itens Confira, Cicatrisan Estéril e Compressa de Gaze. A farmacêutica faturou cerca de R$ 30 milhões em 2018 e prevê  R$ 45 milhões em 2019, com investimentos de mais de R$ 13 milhões nos últimos meses. Para a conquista das metas, Luciano Biagi, CEO da Sanfarma, cita a  construção de um novo centro de distribuição no Nordeste e a finalização da nova planta em Americana (SP), onde já existe um parque industrial com 4.500 m² equipado com máquinas de alta performance e recursos de última geração.

Com visual dos anos 80

A exposição é uma oportunidade única de apreciar imagens  que viraram ícones mundiais ao serem reproduzidas em posters distribuídos pela editora de Bruce McGaw.  Foto: Divulgação

 


 

“A Luz de Antônio Peticov” é a exposição que a Galeria Ricardo Von Brusky e Cacá Nóbrega apresentam a partir de 2 de agosto, na capital paulista. No sábado, dia 3 de agosto, às 18h, a galeria promove uma palestra com o artista. Serão exibidas dez esculturas e duas instalações em neon, reproduções de obras dos anos 80, e seis pinturas em tela inéditas. Os trabalhos em neon foram exibidos pela primeira vez no início da década de 80,  em Milão, cidade italiana em que o artista viveu entre 1971 e 1985, antes de se estabelecer em Nova York por mais 14 anos.

 

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br