Publicado em

Assim como a bancada feminina na Câmara dos Deputados cresceu (50%, de 51 para 77 cadeiras), também subiu o número de deputados federais que se declaram negros. Mas, nas duas minorias, o avanço, embora importante, ainda indica baixa representatividade desses segmentos sociais no Legislativo. Dos 513 deputados eleitos e reeleitos no último domingo (7), somente 125 se declaram negros, de acordo com levantamento da Câmara. O número de parlamentares negros cresceu quase 5% em relação a 2014, quando os eleitos totalizavam 106 parlamentares. No entanto, totalizam 75% os deputados federais eleitos declaram a cor branca.

Representatividade baixa

Ainda de acordo com o levantamento da Câmara, os parlamentares eleitos e reeleitos que se declaram pardos e pretos totalizam pouco mais de 20%, portanto, representatividade aquém dos 54% da população brasileira formada por negros (soma de pretos e pardos), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda há parcela menor ocupada por amarelos (0,389%) e indígena (0,19%). Com cinco nomes ligados ao PSD, PHS, Avante, PRB e PT, o Estado da Bahia despontou como o que mais contribuiu para aumentar essa representatividade na Câmara.

Bahia e Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro elegeu seis candidatos que se autodeclararam pretos. A Bahia também lidera o número de pardos eleitos como deputados federais. Entre os 104 nomes que garantiram essa vaga, 13 foram escolhidos pelos baianos. Do total de 32 senadores eleitos no último domingo, 14 se declaram negros, segundo a Agência Brasil. A Casa é composta por 81 parlamentares e disse não ter um levantamento oficial a respeito da declaração de cor dos senadores que foram escolhidos nas eleições anteriores às do primeiro turno deste ano.

11 eleitos para o Senado

Para o Senado, dos 35 candidatos que se declararam pretos, apenas três foram eleitos: Weverton (PDT-MA), Mecias de Jesus (PRB-RR) e Paulo Paim (PT-RS) que se reelegeu para mais um mandato. Entre pardos, 75 se candidataram ao Senado e apenas 11 se elegeram por Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe. Esses dois recortes das bancadas que vão decidir as leis e os rumos do País nos próximos quatro anos indicam que o Brasil continua um país comandado por brancos do sexo masculino.

Fast-Credit

O Crédito Digital, da Desenvolve SP, acaba de ultrapassar a marca de R$ 60 milhões em empréstimos aprovados dentro de apenas de 48 horas. O sistema, único no País, utiliza a certificação digital E-CNPJ para autenticar eletronicamente as operações e, assim, desburocratizar o acesso das empresas de pequeno porte ao financiamento de capital de giro. A iniciativa já beneficiou mais de 600 empresas com faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 16 milhões. O valor médio das solicitações é de R$ 100 mil por operação e 58% da demanda vêm de empresas do interior paulista.

Recorde de ativos

A Monte Bravo, empresa de assessoria de investimentos que figura entre as três principais do país, aumentou sua conta de ativos sob assessoria para R$ 2,5 bilhões até setembro deste ano. Esse é um recorde desde a criação do escritório, em 2010, além de um crescimento de 100% em relação ao mesmo período de 2017. A expectativa da Monte Bravo é fechar o ano de 2018 com R$ 3 bilhões sob assessoria. Hoje, a empresa sediada em Porto Alegre e com dois escritórios em São Paulo, tem mais de quatro mil clientes - 1.415 investidores que aplicam mais de R$ 300 mil, número que cresceu 89% desde julho do ano passado, e que o escritório paulista espera aumentar para 2.100 até o fim de 2018. Considerando o CDI atual, a Monte Bravo  projeta ainda que seus clientes terão ganho de R$ 36 milhões a mais do que a média de mercado.

Blockchain para negócios

Com o objetivo de preparar e capacitar profissionais acerca dos assuntos e transformações esperados com o desenvolvimento de infraestruturas blockchain e similares nos mais diferentes segmentos de negócios, a Blockchain Academy e a Mosaico University, duas escolas pioneiras na formação em blockchain no Brasil, se unem para realizar o curso online do mercado brasileiro, voltado para negócios: Blockchain e DLTs, o seu negócio preparado para o futuro. Felipe Santos, head de educação da Mosaico University e um dos responsáveis pelo conteúdo e metodologia de ensino, destaca que o curso pode ser feito até por quem não entende de blockchain e deseja começar a aplicá-lo em suas estratégias de negócios. “Decidimos criar este curso para oferecer conteúdos, interações e discussões de alto nível sobre o real potencial desta tecnologia, além de suas aplicações e formas de atuação nos diferentes negócios”, explica.

Voyer urbano

A coreógrafa Ale Kalaf esboçou na dança a relação entre os indivíduos e suas cidades. FOTO: Paulo Barbuto

Após temporada de estreia no Centro Cultural São Paulo, o espetáculo de dança CONCRETO - projeto da Cia Flamenca Ale Kalaf contemplado pela 23ª edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo - segue com as apresentações em vários locais da cidade de São Paulo até novembro deste ano. O projeto é inspirado no livro “Tentativa de esgotamento de um local parisiense”, de George Perec, obra que revela a experiência contemporânea de um vouyer urbano, contemplador e narrador da cidade. No ano de 1974, Perec permaneceu três dias na praça de Saint-Sulpice, em Paris, anotando tudo o que via. Com essa proposta, o autor transformou os acontecimentos cotidianos da rua em um texto composto por fotografias escritas, um catálogo de ações, gestos e imagens, uma lista de fatos insignificantes da vida cotidiana. A coreógrafa Ale Kalaf repetiu a experiência de Perec na cidade de São Paulo, 44 anos depois, observando essa realidade. A partir dessa vivência, encontrou vieses possíveis para esboçar os contornos dessa relação entre os indivíduos e suas cidades, e o lugar que essa cidade ocupa no interior de cada um.

Liliana Lavoratti é editora de fechamento

liliana@dci.com.br