Publicado em

Os planos do governo Bolsonaro (PSL) para a privatização andam a mil. Ontem, a agência Reuters publicou que a promoção do aumento da concorrência no mercado de gás natural do Brasil podem gerar uma onda de privatizações de distribuidoras do insumo e atrair grandes empresas internacionais e locais para avaliar os ativos. Os especialistas consultados têm dúvida sobre a velocidade desse movimento. Entre os potenciais interessados, eles citaram grupos que já atuam no setor no país, como a brasileira Cosan e a espanhola Naturgy, estrangeiros como a portuguesa Galp, a francesa Engie e a também espanhola Repsol.

Interesse de empresas estrangeiras...

Mas também estão no páreo empresas de combustíveis e GLP e agentes financeiros, como fundos de pensão e de investimento. O programa Novo Mercado de Gás, apresentado no final de junho pelo governo Bolsonaro, prevê entre suas diretrizes que empresas "com posição dominante" deverão vender todas participações em concessionárias de distribuição, o que na prática deve levar a estatal Petrobras a buscar compradores para suas fatias em 19 distribuidoras de gás, de 27 companhias que atuam no setor no Brasil.

...e daquelas que já atuam no Brasil

A petroleira estatal também assinou um acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) neste mês que prevê a alienação de todos seus ativos de transporte e distribuição de gás até 2021. "Não tenha dúvida... de fato, vamos assistir esse processo de privatizações, um processo de venda bastante forte das distribuidoras de gás para mãos privadas", disse o sócio-diretor da consultoria Gas Energy, Rivaldo Moreira Neto, ainda segundo a Reuters. O programa também prevê o incentivo aos governos estaduais à privatização das estatais de distribuição de gás.

Conjunção de fatores favoráveis

"São forças que se somam. A decisão do Cade, a decisão estratégica da Petrobras [de sair do setor]. E ao mesmo tempo incentivos do governo federal para que os Estados abram mão de suas estatais", de acordo com a fonte da Reuters. A Petrobras tem fatias, principalmente minoritárias em empresas estaduais de gás por meio da Gaspetro, subsidiária na qual a japonesa Mitsui detém 49% das ações. Ela ainda controla sozinha a GasBrasiliano, em São Paulo. A previsão é que virão muitos investidores de fora, interessados nos novos negócios.

Cosan está no páreo

"Acho que vai vir muito investidor de fora. Por exemplo, a portuguesa Galp, a Repsol, a Engie, essas grandes", afirmou o advogado especializado em gás Cid Tomanik Pompeu Filho, do escritório Tomanik Pompeu. Ele também aposta em um grande interesse da Cosan, que atua com açúcar, etanol, combustíveis e logística, além de controlar desde 2012 a Comgás, responsável pela distribuição de gás em São Paulo. "A Cosan quando entrou na Comgás estava titubeando, mas depois que ela viu o negócio que é, ela quer comprar outras", acrescentou.

Operária digital  

Na onda das transformações tecnológicas que impactam a relação entre empresas e consumidores, a seguradora Prudential do Brasil, a maior independente do país no ramo de seguros de vida individual, acaba de implantar uma solução de automação operacional: a robô Angel, nova funcionária digital da seguradora. Ela atua na diretoria de Operações, é responsável por tarefas operacionais que envolvem o processo de emissão do seguro de vida individual. Ao contrário de um funcionário de carne e osso, Angel trabalha ininterruptamente, reduz erros e aumenta a produtividade da equipe. “Toda equipe ganha com a chegada da Angel. Como ela realizará atividades administrativas, a área poderá ter um tempo maior para inovar, pesquisar e propor melhorias que contribuam para o crescimento constante da companhia como um todo”, destaca o gerente de Excelência em Projetos e Processos da Prudential do Brasil, Fagner Paixão.  

R$ 10 milhões em 2019

A IT’S Informov, empresa de arquitetura, engenharia e design para o mercado corporativo, pretende investir R$ 10 milhões em suas operações em 2019, com projeção de crescimento de 80%.  Marcelo Breda, CEO da IT’S, informa que o montante será direcionado para a expansão do escritório, aumento do quadro de funcionários, tecnologia e marketing. A IT’S Informov é pioneira na introdução do Informov Turnkey System, que engloba desde o conceito de arquitetura e design até a execução da obra, tudo em um único contrato, “chave na mão”. O investimento tem como objetivo proporcionar melhoria contínua em inovação, agilidade e qualidade dos projetos realizados pela empresa. Atendendo, assim, grandes clientes como Arezzo&Co, Basf, Bradesco, iFood, inovaBra lab, Santander, WeWork, entre outros.

Castelo Rá-Tim-Bum no palco

Nino, um garoto feiticeiro prestes a completar 300 anos, vive em um castelo escondido entre os arranha-céus de uma grande cidade. (Foto: Caio Gallucci)

“Castelo Rá-Tim-Bum – o Musical”, apresentado pelo Ministério da Cidadania, com patrocínio da UOL, Aché e realização da 4ACT Entretenimento, faz nova temporada em comemoração aos 25 anos do programa Castelo Rá-tim-bum e aos 50 anos da TV Cultura. Depois do sucesso em 2017, o espetáculo fará uma curtíssima temporada e traz todos os principais personagens da série televisiva que foi eternizada nos anos 90. O espetáculo reestreia dia 9 de agosto no Theatro Net São Paulo. 

Com direção geral de Léo Rommano, direção musical de Paulo Nogueira, coreografias de Thiago Jansen e direção artística de Léo Rommano e Ricardo Marques, o musical é baseado na série Castelo Rá-Tim-Bum, criada por Cao Hamburger e Flávio de Souza, que estreou na TV Cultura em 1994 e contou com 90 episódios e um especial. Até hoje, a série é considerada um dos melhores produtos audiovisuais da história da televisão brasileira.

 

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br