Publicado em

Cerca de 50 organizações não governamentais (ONGs) ligadas ao meio ambiente encaminharam, ontem (15), representação à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, manifestando preocupação sobre a forma como está sendo conduzida a gestão da política do setor pelo atual governo. As entidades querem a revisão de decretos e medidas provisórias editadas pelo governo até agora e um debate democrático com a sociedade civil em relação à gestão ambiental. "Passados mais de cem dias do novo governo, as iniciativas vão à direção oposta à de nosso alerta, comprometendo a credibilidade internacional do País”, diz a representação.

‘Desmantelamento sistêmico’

“A governança socioambiental no Brasil está sendo desmontada, em afronta à Constituição", afirmam os ex-ministros da área Rubens Ricupero, Gustavo Krause, Marina Silva e José Sarney Filho, que assinam o texto alertando para o que consideram erros do governo, de acordo com o Estadão Conteúdo. O documento afirma que “há intenção do governo de desmantelamento sistêmico da política ambiental e do Sistema Nacional de Meio Ambiente, o Sisnama, construídos nas últimas décadas, fazendo com que instrumentos deixem de proteger a natureza e a população”.

‘Iniciativas de destruição’

"Não são apenas ações isoladas. O objetivo é alterar toda a política nacional de meio ambiente de forma sistêmica", afirma Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam) e conselheiro titular do Conama. A representação cita iniciativas do governo que demonstram a intenção de "destruir a atual política ambiental": licenças ambientais contrariando equipes técnicas dos próprios órgãos ambientais; rearranjos na estrutura de órgãos governamentais que tratam de matérias como meio ambiente e tutela das populações indígenas, entre outras.

Iluminação sustentável a...

Cerca de 12 mil brasileiros serão beneficiados até o final deste ano com a iniciativa global coordenada pela Unesco, que valoriza a luz e o papel que ela desempenha na ciência, cultura, educação, desenvolvimento sustentável. Foto: Divulgação
 

Parece mentira, mas é a pura realidade. Mais de 1 milhão de pessoas no Brasil não têm energia elétrica e 6 milhões não têm acesso à iluminação pública. Esse quadro estimulou a criação do “Litro de Luz Brasil”, organização que já impactou diretamente a vida de mais de 11 mil pessoas desde 2014. Ainda em maio, com a chegada em Miracatu, interior de São Paulo, e a instalação de novas soluções em Jardim Gramacho, onde já atua desde 2017, a organização impactará diretamente 12 mil pessoas, com soluções de iluminação sustentáveis, por meio de energia solar.

...comunidades sem acesso à energia

Hoje, a “Litro de Luz” celebra o Dia Internacional da Luz, ampliando a atuação em comunidades no Rio de Janeiro e em São Paulo. A organização, financiada por empresas, também fez instalações no Distrito Federal, Paraíba e Bahia. “Desde 2011 no mundo e 2014 no Brasil, o ‘Litro de Luz’ leva iluminação a famílias que mais precisam: crianças que agora conseguem estudar à noite, pais que podem trabalhar até mais tarde, idosos que podem se deslocar com mais segurança e famílias que podem viver com mais conforto”, avalia Laís Higashi, presidente do Litro de Luz.

Clique em links inseguros

Mais de 60% dos brasileiros já clicaram em links recebidos por e-mail sem saber se eram seguros - uma das práticas mais perigosas no mundo virtual, ponto de partida para o chamado phishing (fraude online cujo objetivo é roubar informações pessoais e financeiras dos internautas). E um quarto dos e-consumidores teve cartões de débito e/ou crédito clonados pelo menos uma vez. Essas constatações são da pesquisa PayPal/Opinion Box sobre segurança online, divulgada ontem.  O smartphone está se tornando o controle remoto do mundo – prova disso é que, no ano passado, 3,7 bilhões dos 9,9 bilhões de pagamentos que o PayPal processou nos mais de 200 mercados em que atua foram realizados por meio de dispositivos móveis, cerca de 37% do total.

Lojas desprotegidas

O Dia das Mães é uma das datas mais movimentadas do varejo no Brasil e quem comprou o presente pela internet correu o risco de ter seus dados expostos. Isso porque a cada seis lojas de e-commerce, uma ainda não possui certificado de segurança para proteção de dados, segundo estudo encomendado pela Serasa Experian e realizado pela BigData Corp. O número representa 16,4% dos e-commerces, dentre os cerca de 920 mil disponíveis online. Estes endereços não possuem o certificado de segurança (SSL – Secure Socket Layer), que promove uma conexão segura utilizand o a criptografia entre o servidor e os dados trafegados, o que evita o roubo de dados durante a transação. Apesar disso, 83,6% das lojas online já contam com o SSL, o que representa cerca de 750 mil endereços.

Salto na base de alunos

A International School, empresa de soluções de ensino bilíngue, cresceu mais de 90% a base de alunos usuários do programa em 2018, um salto de 45 mil para mais de 85 mil, registrando faturamento acima de R$ 100 milhões. Em 2015, o projeto contava com pouco mais de 500 estudantes. Para 2019, a empresa aumentou o número de escolas parceiras em 50%. Já está presente em 23 Estados além do Distrito Federal e mantém dois escritórios centrais, localizados em Fortaleza (CE), Rio de Janeiro (RJ), bem como a sede na capital paulista. O número de funcionários também cresceu em 60%. “Um dos nossos pilares é o contínuo aprimoramento e pesquisa dos materiais didáticos, formação de professores e maior utilização de tecnologia educacional”, diz Ulisses Cardinot, fundador e CEO da International School.

Recuperação em andamento

O plano de recuperação judicial do Grupo Itapemirim – formado pela Viação Itapemirim S/A, Transportadora Itapemirim S/A, Ita Itapemirim Transportes S/A e mais cinco empresas,  homologado na nesta terça-feira (14) pelo juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, já está em prática. Os prazos de pagamento previstos no plano começam a correr, destacam Elias Mubarak Júnior e João Paulo Betarello Dalla Mulle, do Mubarak Advogados Associados, que assessora a Itapemirim.  Mubarak lembra que, com dívidas superiores a R$ 300 milhões, a empresa, sediada em Cachoeiro do Itapemirim, na Grande Vitória (ES), mudou de controlador em dezembro de 2016. “Mas em 2018 o juiz da 13ª Vara Especializada de Vitória reconheceu a sua incompetência absoluta para processar a Recuperação Judicial, entendendo que o Foro Competente para apreciar o pedido seria uma das Varas do Foro Central Cível de São Paulo”, lembra. “Foi quando assumimos e conseguimos trazer o processo para a capital paulista”, afirma o advogado.

História de perdas e superação

O autor-ator Clóvys Tôrres constrói/desconstrói seu drama com o mínimo de elementos: tapete, cadeira e sua roupa de príncipe, que ele bordou. Foto: Divulgação
 

O ator e dramaturgo Clóvys Tôrres apresenta o solo “Me dá tua mão”, de sua autoria e “descontruído” por Amir Haddad, há cerca de um ano e seis meses. Atualmente em cartaz na capital paulista, o solo já passou por mais de trinta cidades de São Paulo, Paraná e Paraguai. A narrativa é adaptada a diversas situações e estilos de teatro, da praça pública ao palco italiano, e faz parte da pesquisa do ator-dramaturgo sobre memória e narrativas familiares. O crítico do Estado de São Paulo, Joao Cury, classificou o espetáculo de “beleza pura”. Clóvys estava no elenco do Godot de Elias Andreato, com Cláudio Fontana, figurino de Gabriel Villela. A peça está em cartaz na capital paulista, às segundas-feiras, às 20h30, na Sala orquidário do restaurante Pimenta Romã, na Alameda Lorena, 521.

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br