Publicado em

O Brasil sediou a Rio-92 (Cúpula da Terra), quando foi lançada a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC), órgão que lidera as conferências ambientais. Cinco anos atrás, foi sede da Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável, pontapé da negociação que levou à aprovação dos objetivos para a Agenda 2030. Nas últimas duas décadas, o desmatamento continua alto aqui, o Código Florestal flexibilizou exigências de conservação e recuperação dos recursos naturais, mas o futuro é uma boa saída para o que não se faz no presente. O Brasil quer sediar a COP em 2019.





'Brasil fortemente comprometido'



O desejo de sediar a 24ª Conferência do Clima da ONU foi anunciado dias atrás em Bonn (Alemanha), durante a cúpula deste ano, pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho. "O Brasil está fortemente comprometido com a sustentabilidade e com a causa da mudança climática e tem uma forte tradição de receber grandes eventos internacionais relacionados com o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável", afirmou o ministro, segundo a Agência Brasil. A COP25 será um marco para a implementação do Acordo de Paris e o Brasil quer ser protagonista.





Qual será a proposta?



Em 2019 estará começando o mandato do presidente da República eleito em 2018. Qual proposta do novo governo para o meio ambiente será adotada? Os  governantes continuarão a fazer quase nada pela prevenção das mudanças climáticas, como ocorre há alguns anos?  O fato é que a realidade está longe do discurso oficial. O desmatamento na Amazônia Legal caiu 21% em um ano, segundo o Imazon. Mas de julho de 2016 a julho de 2017 foram desmatados 2.834 de km², o dobro do território da cidade de São Paulo. E o desmatamento em unidades de conservação avançou.





Faltam elementos para criação...



"Apesar de possuir pontos controversos, a Lei 13.506/2017 eleva a régua do enforcement financeiro, já defasado com relação ao tamanho e importância do sistema financeiro e mercado de capitais do Brasil", diz Alexei Bonamin,  sócio da área de mercado de capitais, bancária e enforcement financeiro de Tozzini Freire Advogados, sobre a legislação que dispõe acerca do processo administrativo sancionador na esfera de atuação do Banco Central (BC) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). As regras foram aprovadas depois de várias discussões no Congresso Nacional.





 ...de programa efetivo de leniência



A Lei 13.506/2017 dá ao BC poder para aplicação de penalidades que vão desde admoestação pública e multa até a cassação da autorização para funcionamento. No caso de multa, esta não pode ultrapassar R$ 2 bilhões ou 0,5% da receita de serviços e de produtos financeiros. Kenneth Ferreira, também sócio do Tozzini Freire Advogados, afirma que falta à Lei 13.506/2017 elementos para a criação de um programa efetivo de leniência, dentre eles a imunidade automática para o primeiro que confessar a prática ilícita e a concessão de imunidade criminal para colaboradores.



 



Frota de elétricos em Itaipu



A Itaipu já montou mais de 140 veículos elétricos e tem a maior frota desses automóveis da América Latina. Na semana que vem (terça e quarta), a hidrelétrica vai inaugurar o Centro de Inovação em Mobilidade Elétrica Sustentável (CI-MÊS), com a participação do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, e do diretor -geral de Itaipu Binacional, Luiz Fernando Vianna. Na ocasião também será comemorado o recorde em geração acumulada de energia: 2,5 bilhões de MWh. E para finalizar, um encontro de ministros abordará a "Agenda 2030, desenvolvimento sustentável e energia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)".





Parceria para a indústria 4.0



Força tarefa entre 20 empresas brasileiras e alemãs, coordenada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Federação das Indústrias Alemãs (BDI), apresentaram aos governos dos dois países, semana passada, em Portal Alegre (RS), cinco propostas para desenvolver a Indústria 4.0 no Brasil. As propostas apresentadas envolvem iniciativas para disseminar tecnologias ligadas à indústria 4.0, estimular sua adoção por pequenas e médias empresas, desenvolver novas metodologias de formação de recursos humanos e criar centros de excelência para inovação em Indústria 4.0. A ideia é que esses centros utilizem a experiência de instituições como o SENAI, Embrapii e Fraunhofer. CNI e Senai começarão o projeto piloto voltado para a inclusão digital e aumento da produtividade das pequenas e médias empresas. "Hoje, o foco das empresas para a digitalização ainda está em melhorar os processos existentes, ampliar a produtividade. Poucas empresas pensam em novos modelos de negócios ou inovações mais radicais, mas é preciso ter isso em mente, pois esse tipo de transformação é tendência desta 4º revolução industrial", diz o gerente-executivo de Política Industrial da CNI, João Emílio Gonçalves.



 



Estratégia agressiva



Florianópolis será o QG da HostGator para a América Latina A HostGator, uma das líderes em soluções para hospedagem de sites e presença digital no mundo, completa 10 anos de operações no Brasil com uma estratégia agressiva para a América Latina. A empresa investiu R$ 4 milhões no novo escritório em Florianópolis (SC) e definiu a capital catarinense como o headquarter para operações na região. A HostGator começa a operar na Colômbia e no Chile ainda este ano. Daniel Girardi Dias é o executivo que lidera o processo de expansão para a América Latina. De acordo com ele, pesquisas de mercado indicam que há entre os países de língua espanhola espaço para uma empresa que valoriza, principalmente, o atendimento ao cliente com uma carteira de produtos inovadores e suporte especializado. "Temos metas agressivas de crescimento e certamente teremos aumento no quadro de colaboradores", antecipou Dias. O novo escritório de Florianópolis pode abrigar mais de 400 funcionários, o dobro do atual contingente da empresa.





A vez do RH



Para tornar o RH mais estratégico e eficiente, o Kenoby, software para a gestão de recrutamento e seleção de pessoas, residente do Cubo Itaú - um dos maiores centros de tecnologia, inovação e empreendedorismo do País -, realiza em 23 deste mês a segunda edição do maior evento da categoria no País. Devem participar 400 tomadores de decisão (gerentes, diretores, supervisores e coordenadores de RH), que tomarão conhecimento das principais tendências da área de recrutamento e seleção, com líderes do mercado que compartilharão casos de sucesso e novidades que prometem revolucionar a área em pouco tempo. "O RH está passando por uma transformação semelhante a que passaram as áreas de Vendas e de Marketing. Agora é a vez do RH, e é importante que os profissionais se atualizem para acompanhar a mudança da chegada da era dos dados, ou seja, o uso de informações estratégicas e inteligentes que auxiliam o gestor na tomada de decisão, pois a tecnologia tem desafiado modelos de negócios já estabelecidos.", explica Marcel Lotufo, CEO e sócio fundador da Kenoby.



 



Melhor ser previdente



A previdência dos servidores públicos é uma bomba-relógio, com gigantescos déficits a aparecerem dentro de alguns anos, a exemplo do que acontece atualmente com o sistema de aposentadorias e pensões dos trabalhadores do setor privado (INSS). A Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (SP-PREVCOM) fará reunião técnica com representantes de mais de 30 prefeituras para discutir a criação e implantação de fundo multipatrocinado de previdência complementar para servidores públicos municipais, peça-chave da reforma que tramita no Congresso Nacional. Do encontro, neste dia 21, participarão o presidente da SP-PREVCOM, Carlos Henrique Flory, e Newton Conde, diretor da Conde Consultoria Atuarial , especialista em ciências atuariais. Os principais pontos a ser abordados são a criação de fundo multipatrocinado com vários municípios sob a gestão da SP-PREVCOM, as mudanças aguardadas da reforma previdenciária, projeções atuariais, normas e legislação específicas para implantação de previdência complementar e ajustes da legislação municipal necessários para sua implementação.