Publicado em

Em linha com a tendência mundial de grandes companhias substituindo os investimentos em pesquisa e desenvolvimento por aceleração de startups, empresa de saneamento adota este caminho para levar a disrupção em um dos setores no Brasil com um dos piores indicadores: o saneamento. Por meio do Iguá Lab, a Iguá Saneamento selecionou dentre 90 inscrições dez startups com propostas inéditas para reduzir as perdas e a inadimplência na prestação de serviços de água e esgoto, além de aspectos técnicos nessa atividade, aproximação entre companhias e consumidores e comunicação interna, focada nos colaboradores.

Além de obras...

“Saneamento sempre foi considerado oportunidade para fazer obras. Somos prestadores de serviços, obras são o meio, não o fim”, diz Pericles Weber, chefe de Operações da Iguá Saneamento, controlada pela IG4 Capital e que em 2017 faturou R$ 500 milhões. A companhia, uma das quatro maiores privadas do setor no País, decidiu chamar jovens empreendedores para fazer parceria na inovação após adotar modelos que antecipam em até um ano a entrega de obras (compactas e modulares). O passo seguinte foi buscar inovação também em outras áreas do negócio.

...a prestação de serviços

Sem revelar o investimento a ser feito nas dez empresas iniciantes – que podem receber mentoria, se tornar prestadoras de serviço à Iguá ou adquiridas totalmente ou em parte pela empresa de saneamento –, Weber ressalta que até o final deste ano devem começar a ser colocadas em prática as soluções das selecionadas em estágio mais avançado. Para as demais, a previsão é de terem pilotos rodando no início de 2019 para em meados do próximo ano terem escala real nas soluções inovadoras. A meta é envolver 60 pessoas nesse processo, que deve ser repetido no próximo ano.

Reduzir o desperdício

As startups escolhidas são a QueroQuitar e PopRecarga (fintechs voltadas às soluções para diminuir a inadimplência no setor, um problema que atinge também as distribuidoras de energia); Vazou (Comunicação), Talent Matching, Eruga e LifeLike (treinamento de colaboradores), S.O.Esco e Itatijuca (tecnologia) e Isystem e Stattus4, focadas na minimização de perdas. “O desperdício totaliza 38% da produção de água no País e metade dessa perda é física, é vazamento, e os outros 50% decorrem de fraudes ou mau desempenho de hidrômetros”, explica o diretor da Iguá.

Diminuir a inadimplência

Outro problema que o Iguá Lab quer a ajuda das fintechs para resolver é a alta inadimplência dos usuários, acentuado pelo avanço do desemprego e da queda de renda da população. Apenas 45% do esgoto gerado no Brasil passa por tratamento – os outros 55% são despejados diretamente na natureza, o equivalente a 6 mil piscinas olímpicas de esgoto por dia. Em 2016, 83,3% da população era abastecida com água potável – outros 16,7%, ou 35 milhões de brasileiros, ainda não tinham acesso ao serviço. Em 2011, o índice de atendimento era de 82,4%.

Feirões ajudam brasileiros...

Os brasileiros estão com dificuldade de honrar compromissos financeiros, com o desemprego avançado e a queda da renda. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 59,6% das famílias tinham dívidas em julho deste ano – em junho, essa fatia era de 58,6%. O total de brasileiros que não conseguiram pagar cheques e boletos oriundos de crediário também é elevado. Na MultiCrédito, empresa de análise de crédito do consumidor, o volume de cheques e boletos não quitados é de 200 mil dívidas. Mas ficar com o “nome sujo” não apenas atrapalha na obtenção de novos empréstimos para equalizar as contas, mas também pode prejudicar, inclusive, quem está procurando emprego, a depender do cargo e da empresa que está contratando.

...a sair do ‘nome sujo’

Para facilitar a “volta por cima”, a MultiCrédito promove até 31 de agosto, o Feirão de Negociação MultiCrédito. “Entendemos que todos passam por dificuldades e queremos auxiliar o cidadão a reorganizar suas finanças. Por isso, realizamos eventos como este, com descontos e oportunidades especiais para quem deseja quitar suas dívidas”, comenta Carlos Eduardo de Oliveira e Souza, diretor de recuperação da empresa. Segundo ele, o Feirão oferecerá até 70% de desconto sobre o saldo devedor. “É uma oportunidade ímpar para reorganizar o orçamento doméstico. Com isso, esperamos resgatar, pelo menos, 20% dos débitos em atraso”, acrescenta Sousa.

Crédito antecipado

Já quem tem alguma “gordura”, está usando para evitar a inadimplência. Cresceu a procura pela antecipação do 13º salário no Estado de São Paulo em comparação com o ano passado. Dados do Itaú Unibanco indicam que, entre fevereiro e julho deste ano, o produto registrou alta de 10% no volume em relação ao mesmo período de 2017. Já a quantidade de contratos aumentou 28,2%. A modalidade pode ser uma boa alternativa para reorganizar as finanças em tempos de desemprego elevado e queda na renda dos trabalhadores. A antecipação do 13º é uma linha de crédito com garantia e quitada automaticamente quando o benefício entra na conta do cliente no fim do ano.

Gestão de carreira em teatro

Escritor e autor de novelas, Aguinaldo Silva empreende em São Paulo para oferecer a artistas de teatro conhecimento voltado a alcançar melhores resultados na profissão

O mercado de trabalho para os profissionais de teatro é restrito e competitivo. Saber fazer a gestão de uma carreira nessa atividade é imperativo para alcançar resultados favoráveis. A Mostra Cênica 2018, promovida pela Casa Aguinaldo Silva de Artes, na capital paulista, se propõe a ser um espaço para apresentação de talentos, como uma forma estratégica de exposição a esse mercado. “Ao mesmo tempo, abrimos as portas da Casa a produtores, diretores e investidores interessados em conhecer o trabalho de atores e atrizes em seu estágio iniciante na carreira”, enfatiza o jornalista, escritor e autor de novelas, à frente do empreendimento em São Paulo. Inaugurada há pouco tempo, a Casa Aguinaldo Silva de Artes quer fomentar o teatro, no contexto da economia criativa, formando profissionais para os palcos do Brasil e do mundo, ampliando conhecimentos de gestão de carreira e colaborando para a formação de plateia, em dias de grande concorrência tecnológica. Informações sobre a mostra no  mostracenicasp@casadeartes.art.br. 

Em debate

O custo de assistência médica é o segundo maior no orçamento das empresas no Brasil, perdendo apenas para a folha de pagamento. A pressão pelo corte de despesas têm levado os departamentos de Recursos Humanos a buscar alternativas de prevenção para melhorar a saúde do trabalhador. Entre elas, destacam-se os cuidados com a alimentação fora do lar. Para auxiliar os gestores de RH a conscientizar funcionários na busca por refeições saudáveis, a Associação Brasileira Para a Promoção da Alimentação Saudável e Sustentável realiza o Fórum de Saúde Corporativa, dentro do CONARH 2018, hoje, na capital paulista. Além dos painéis e debates para trocar experiências, o Fórum lançará o Programa Alimentação 4.0 – Guia Para a Contratação da Alimentação Adequada e Saudável, ferramenta de orientação aos profissionais de recursos humanos em relação aos benefícios da alimentação adequada ao trabalhador e os consequentes impactos positivos na redução dos custos com doenças.

Liliana Lavoratti é editora de fechamento 

liliana@dci.com.br