Publicado em

Houve expansão das mortes nas regiões Norte e Nordeste influenciado, principalmente, pela guerra do narcotráfico, fluxo das drogas e o mercado ilícito de madeira nas zonas rurais. É o que mostra o Atlas da Violência – Retrato dos Municípios Brasileiros 2019, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O estudo analisou 310 municípios com mais de 100 mil habitantes em 2017 e fez o recorte regionalizado da violência no País, e identificou heterogeneidade da violência letal nas cidades ligada às diferenças no desenvolvimento humano entre os mais e menos violentos.

Maracanaú, no Ceará, é destaque negativo

O município mais violento do Brasil, com mais de 100 mil habitantes, é Maracanaú (CE), seguido por Altamira (PA) e São Gonçalo do Amarante (RN). Dos 20 mais violentos, 18 estão no Norte e Nordeste. Segundo o coordenador do estudo, Daniel Cerqueira, cidades mais violentas têm 15 vezes mais homicídios relativamente que os menos violentos. “A diferença corresponde à diferença entre taxas do Brasil e da Europa. Nos mais violentos, perfil socioeconômico é mais parecido com países latino-americanos ou africanos, onde as pessoas não têm acesso à educação.

Investimentos da Klabin triplicam no 2º tri

A Klabin investiu R$ 581 milhões no segundo trimestre de 2019, o triplo do informado um ano antes, quando foram aportados R$ 193 milhões. O resultado é um aumento de 95,6% ante o volume aportado no primeiro trimestre, de R$ 297 milhões. No acumulado do semestre, a companhia investiu R$ 877 milhões, o dobro da soma nos primeiros seis meses do ano passado, de R$ 423 milhões. De abril a junho de 2019, R$ 92 milhões foram destinados a operações florestais, R$ 144 milhões ao operacional e R$ 57 milhões em projetos especiais e expansões.

Projeto de expansão Puma II

Com investimentos, a Klabim dá início aos trabalhos no Projeto de expansão Puma II, que no trimestre somaram R$ 288 milhões. A empresa explica que, ao longo do trimestre, o projeto avançou de acordo com o cronograma, finalizando o segundo mês de trabalho com 85% dos principais processos que compõem a nova linha de produção. No segundo trimestre, a Klabin registrou fluxo de caixa livre ajustado, que desconsidera fatores discricionários, de R$ 368 milhões, impulsionado positivamente pelo aumento do Ebitda ajustado no comparativo anual.

PMI vai de 49 em junho para 51,6 em julho

O índice de gerente de compras (PMI, sigla em inglês) composto do Brasil, medido pela IHS Markit, subiu de 49,0 em junho para 51,6 em julho. O avanço se deve à alta do índice de serviços, de 48,2 para 52,2 entre os dois meses, já que o PMI industrial caiu de 51,0 em junho para 49,9 em julho, como já havia sido divulgado no dia 1º A marca de 50 separa a contração da expansão da atividade. “As tensões prolongadas no comércio global e a paralisação do crescimento, combinadas com questões políticas domésticas, arrastaram a produção para contração no terceiro trimestre. /Agências

PLANO DE VOO