Publicado em

Dar uma destinação adequada aos resíduos ou materiais não aproveitados pelo setor de construção e contribuir para a melhoria de vida das famílias de baixa renda de Belo Horizonte (MG). Com esses objetivos, o Sindicato da Construção Civil criou o 'Brechó da Construção', que, a custo simbólico, repassa sobras de materiais e demolições a famílias de baixa renda.

O brechó recebe doações de material não utilizado pelas construtoras em suas obras, além de outros que se originam de demolição, reformas particulares, lojas de materiais, indústrias ou adquiridos por terceiros para doação. A única exigência é que o material esteja em condições de uso. A custo simbólico, o material é repassado para famílias com renda de até três salários mínimos, para uso em obras domésticas, como reformas ou benfeitorias em suas residências.

Segundo o coordenador do projeto pelo Sindicato das Indústrias da Construção , Roberto Matozinhos, desde agosto de 2003, quando foi criado o brechó, foram recebidas doações no valor aproximado de R$ 100 mil e 100 famílias atendidas. "Ainda é pouco em relação ao número de famílias que pretendem ser beneficiadas", avalia. Revestimento cerâmico, telhas para cobertura, de preferência, amianto, e esquadrias são os materiais de maior necessidade.

Segundo ele, 3,6 mil famílias foram cadastradas, das quais 600 estão aptas a receber doações, ou seja, tiveram suas residências vistoriadas. Um técnico do Sindicato verifica se não está localizada em invasão, área de risco e se a edificação tem condições técnicas de melhoria, além de avaliar a situação social da família. O Sebrae em Minas integrou-se ao grupo, disponibilizando consultoria para elaboração do planejamento.

Para doar, basta entrar em contato com o Centro de Distribuição do Brechó da Construção, localizado na Rua Canoas n.º 1018, Bairro Betânia, Belo Horizonte, pelo telefone (31) 3383-3576. Um caminhão irá até o local indicado para recolher gratuitamente os materiais.