Publicado em

A C&A , maior rede de lojas de departamentos do País, irá acelerar sua expansão em 2006, com a abertura de 34 lojas, das quais 18 serão novas lojas e 16 reinaugurações. Em 2005, foram abertas 12 lojas, das quais 10 foram novas lojas e duas reinaugurações, segundo informações da empresa. A rede deverá fazer a maior parte das inaugurações no interior paulista e no Nordeste, mas outras unidades também estão previstas para as capitais do Sudeste nos próximos meses, como por exemplo com as novas aberturas no Shopping Jardim Sul e Shopping Campo Limpo , na capital paulista.Até 2010, a C&A pretende chegar a 200 lojas, segundo informações de funcionários da rede, o que representa 80 novas inaugurações nos próximos quatro anos.O aumento da base de cartões C&A é um dos principais objetivos da empresa em 2006. A perspectiva é emitir no mínimo 1,5 milhão de novos cartões em 2006, entre as 115 lojas existentes hoje no Brasil.Atualmente, a C&A é uma das varejistas que mais tem cartões no Brasil. Existem 14 milhões de cartões da C&A distribuídos no País. Entre os concorrentes, a Riachuelo tem 10 milhões de cartões e a Renner tem quase 9 milhões de cartões.O faturamento da C&A beira a casa dos R$ 3 bilhões só no Brasil, dos mais de R$ 9 bilhões movimentados pelas seis maiores lojas deste segmento."A C&A possui cerca de 32,3% deste faturamento total, seguido pela Lojas Pernambucanas (com 23,1%), Riachuelo (16,3%), Renner (15%), Marisa (8,1%) e o setor de vestuário da Lojas Americanas (5,2%)", afirma Marcelo Milman, analista do Banco Espírito Santo (BES Securities).No interior paulista, serão abertas novas lojas da C&A em Itu e Santa Bárbara do Oeste. Antes da data comercial do Dia das Mães, Maceió (AL) também ganhará novo estabelecimento do grupo. Outras aberturas, em 2006, deverão ocorrer no bairro de Botafogo, Rio de Janeiro, além da chegada da rede em Juiz de Fora (MG). Cada loja tem, de acordo com seu porte, uma meta mensal de emissão de cartões. "Nossa meta por mês é de 1.200 novos cartões", diz um dos funcionários em uma loja de tamanho médio do grupo.A C&A classifica suas unidades em pequenas, médias e grandes, o que acaba diferenciando-as conforme as metas conquistadas nas vendas dos cartões, quantidade de estoque proporcionado para cada uma, além de público-alvo e metros quadrados.Para reforçar a expansão dos cartões nas próximas inaugurações e alavancar uma das estratégias da C&A em 2006, na semana passada, cerca de 100 colaboradores foram contratados durante um período de três meses para realizarem as vendas nas ruas da capital paulista.Estes colaboradores já estão fazendo as primeiras vendas dos cartões direcionadas para as novas lojas ainda não abertas da rede, no Shopping Jardim Sul e Shopping Campo Limpo. "Cada funcionário precisa realizar cerca de 15 novas adesões de cartões C&A por dia, o que inclui as atividades aos sábados. Normalmente nos dividimos em quatro ou cinco grupos e começamos a oferecer o cartão, principalmente nas ruas mais movimentadas e na zona sul de São Paulo", diz uma das colaboradoras.BenefíciosNa C&A os consumidores costumam efetuar seus pagamentos em até cinco vezes sem juros. "Normalmente eles pagam em até cinco vezes sem juros, mas por dia as lojas possuem metas para realizar os pagamentos em até oito vezes com juros. Nesta loja da zona sul da capital, a meta por dia é que 40% dos pagamentos sejam feitos em até oito vezes com juros de 4,5% ao mês", diz o funcionário.Marcelo Milman, analista do BES Securities, diz que os cartões de private label são muito importantes para a receita das lojas de departamentos, em especial da Renner e da Riachuelo. "A vasta maioria das vendas é feita através da categoria de cinco prestações mensais sem juros nem entrada, que respondem por cerca de 70% das vendas da Renner e 45% da Riachuelo", diz Milman.A Riachuelo tem sido muito bem-sucedida na oferta de pagamento em oito vezes, com juros de 4,9%, que já corresponde a 30% de suas vendas. Por sua vez, a Renner só começou no final de ano passado a oferecer um juros de 4,5% em vendas de oito meses, que atualmente correspondem a 5% das vendas, segundo informações do executivo.Além dos benefícios diretos, de serem capazes de vender bens com tíquete médio superior, e do recebimento dos juros, os varejistas são beneficiados com um aumento de visitas às lojas, diz Milman. "Com a ampliação dos cartões C&A, a rede também irá fortalecer o relacionamento com os consumidores e poderá arquivar um histórico das compras de cada cliente", diz ele. O Banco Ibi - braço financeiro do grupo C&A - facilita o pagamento das compras dos consumidores nas lojas da empresa. O Ibi disponibiliza diversos serviços, que inclui a emissão e administração do Cartão C&A e do IbiCard (cartões de crédito MasterCard e Visa), IbiCred (empréstimos pessoais) - através da própria rede Ibi e das lojas C&A.