Publicado em

Ao contrário de outras lojas de móveis e eletroeletrônicos, a Casas Bahia tem aumentado seu estoque e seus fornecedores conforme a demanda de sua expansão e vendas. A empresa quer aumentar em 10% seu número de fornecedores, para 1.100. O diretor administrativo da rede, Michael Klein, diz que pretende manter a estratégia de abrir 25 lojas por ano. Hoje a rede conta com 329, mas quer fechar 2003 com 350. Para isso a empresa vai investir R$ 15 milhões. Pouco, perto do que será aplicado em 2003 em propaganda e marketing: R$ 650 milhões.De acordo com ele, o grupo quer repetir o crescimento de 2002, quando comparado ao ano anterior, e aumentar seu faturamento em 20%, fechando o ano em R$ 5 bilhões. A rede já faturou R$ 1,4 bilhão no primeiro quadrimestre deste ano.No ano passado a empresa registrou faturamento de R$ 4,2 bilhões, um crescimento de 20% em relação ao ano de 2001, que fechou com uma receita de R$ 3,6 bilhões.De acordo com Klein, a loja não está imune à queda de vendas, tanto de móveis como de eletroeletrônicos, mas tem dado andamento a seus planos para driblar a crise. "Quanto mais lojas são abertas, mais consumidores atingimos", explica. De acordo com ele, para isso a rede tem negociado com seus fornecedores além de agregar outros. "No ano passado fechamos contratos com mais de 60 novos fornecedores só de móveis", afirma. De acordo com ele, hoje a rede conta com mil fornecedores.Segundo Klein, as vendas de eletroeletrônicos caíram mais que as de móveis por não ser, o primeiro, um setor de produtos de primeira necessidade para as pessoas.Para o diretor, marketing é uma estratégia essencial para a empresa. De acordo com ele, a propaganda é necessária para deixar a imagem da empresa viva na mente das pessoas.Outra estratégia da empresa para ganhar mercado é abrir lojas na periferia das grandes cidades e no interior. De acordo com Klein, a empresa tem como objetivo diminuir o deslocamento do consumidor até a sua loja, além de atingir novos nichos. Ontem a rede inaugurou a ampliação de sua loja no Shopping Fiesta , zona sul da cidade de São Paulo. Esta loja ganhou mais 250 metros quadrados, totalizando uma área de 1.200 metros quadrados. A rede já conta com 8 pontos comerciais em shopping centers da capital paulista. E, até o final de junho, a rede abrirá as portas de sua segunda maior unidade instalada em shopping, no Shopping SP Market , também na zona sul da cidade. Entre as já abertas durante este ano estão as de Curitiba (PR), Santo André (SP), Diadema (SP), Ribeirão Preto (SP), Sete Lagoas (MG).Segundo Klein, a próxima será a de Belo Horizonte (MG), no Shopping Barreira . "Faltam apenas alguns detalhes", afirmou.O Estado de São Paulo representa entre 60% a 70% do faturamento da empresa. Segundo Klein, o tíquete médio gasto pelos seus clientes fica entre R$ 400 e R$ 430. A rede conta com um cadastro de 10 milhões de consumidores.A rede, que foi fundada há 50 anos, está presente em 8 Estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Goiás, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e no Distrito Federal.A Casas Bahia está trabalhando com duas formas de pagamento: à vista e no crediário - que pode ser feito em até dez vezes sem entrada ou em doze vezes no cartão de crédito.