Publicado em

O frio mais brando e os jogos da Copa do Mundo não formaram um cenário muito positivo para o varejo. Com a proximidade das tradicionais liquidações de inverno, cerca de 72,7% dos lojistas acham que as vendas serão iguais, ou piores, que as efetuadas no mesmo período de 2017.

Os dados fazem parte de uma pesquisa da Federação das Câmeras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP) e apontam que 38,76% dos lojistas acreditam que as vendas serão como o ano passado. Já para 34%, a expectativa é vender menos que 2017.

Para o presidente da entidade, Mauricio Stainoff, as altas temperaturas ainda não motivaram consumidores a comprarem vestuários – um dos setores mais beneficiados nesta época do ano. “A questão climática tem influenciado os hábitos de consumo neste inverno. Infelizmente, para o comércio, o calor pode afetar a decisão de compra”, explica.

Os dados da pesquisa também mostram que nem mesmo a Copa do Mundo está deixando o comércio mais empolgado. Quando questionados sobre a expectativa de vendas durante o Mundial, apenas 15,58% dos varejistas acreditam em um aumento de lucro, já 84,42% deles acreditam que o evento não tem influenciado na decisão de compra do consumidor.

“Para 27,85%, a Copa do Mundo pode ajudar a vender mais. No entanto, são alguns setores que se beneficiam, como bazares, lojas de armarinhos, produtos temáticos, além de bares e restaurantes que recebem mais movimento”, afirma Stainoff.

Segundo ele, para além do mundial de futebol, a confiança do consumidor também pesa na decisão de compra. “Desta forma, poupar ainda é uma escolha do consumidor. Além disso, durante a Copa do Mundo há quebra nos horários do comércio, que muitas vezes fecha e prejudica as vendas”, finaliza Stainoff.