Publicado em

A rede varejista Saraiva, que tem forte atuação no mercado livreiro, apresentou crescimento de 370% no lucro líquido – chegando a R$ 1,3 milhão – no primeiro trimestre de 2018 sobre um ano antes. O salto percentual se deu devido a uma base de comparação fraca, que registrou, descontando as despesas brutas, ganho de R$ 281 mil no mesmo período de 2017.

“Temos expectativa que a retomada nos nossos principais segmentos já está se iniciando. Apresentamos conquistas de market share em importantes categorias, como livros, games, telefonia e nos itens escolares”, afirmou o presidente da Saraiva, Jorge Saraiva Neto.

Segundo Neto, o crescimento na categoria de livros foi de 3,2 pontos percentuais (p.p) no período; os produtos do segmento de ‘volta às aulas’, por sua vez, obtiveram alta de 2,9 p.p.; os games, 0,7 p.p.; e, por fim, a telefonia teve alta de 0,2 p.p.

No que diz respeito ao desempenho da rede nas vendas brutas – as quais englobam e-commerce e operações físicas –, a livraria teve incremento de 12,4%, para R$ 608 milhões, do primeiro trimestre de 2018 sobre um ano antes.

O resultado foi puxado sobretudo pela contribuição do comércio virtual, o qual elevou o volume de vendas pelo canal em 32,5%, atingindo R$ 254 milhões, na mesma base de comparação.

Já o lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), aumentou 22,8%, para R$ 25 milhões, nos primeiros três meses de 2018 frente igual período do ano passado. As operações do e-commerce, com menores despesas, ajudaram a tracionar esse resultado.

Despesas maiores

Não foram apenas as receitas da varejista que cresceram, mas também os custos. Na comparação do primeiro trimestre de 2018 sobre um ano antes, as despesas operacionais subiram 9,5%, chegando a R$ 155 milhões. Ainda na mesma base interanual, a dívida líquida da empresa também subiu: foi de R$ 267 milhões para R$ 284 milhões. Com isso, a rede inicia um processo de renegociação com fornecedores.