Publicado em

Após apresentar incremento de 21% em 2017, o mercado de impressoras deve registrar um crescimento mais tímido para 2018, algo em torno de 2%. Segundo o estudo realizado pela consultoria especializada em tecnologia da informação International Data Corporation (IDC), no ano passado, o segmento movimentou US$ 632 milhões, avanço de 13% em relação a 2016.

Em 2017, foram comercializados cerca de 2,183 milhões de equipamentos, ante 1,8 milhão de máquinas vendidas no ano anterior. Dentro do montante de vendas registrados no ano passado, em torno de 1,7 milhão de unidades (US$ 266 milhões) eram equipamentos jato de tinta e 478 mil eram modelos a laser (US$ 366 milhões), alta de 23% e 17% respectivamente.

Apesar dos números positivos apresentados pelo segmento no ano passado, as perspectivas traçadas pela IDC para 2018 são menos otimistas. “Se houver crescimento será bem tímido, pois as reposições e atualizações já foram feitas e não temos perspectivas de uma grande quantidade de novos usuários”, pontua o gerente de pesquisa e consultoria de Consumer Devices da IDC Brasil, Reinaldo Sakis.

O analista considera que “naturalmente, sempre teremos consumidores comprando o primeiro computador e a primeira impressora, mas nada que leve a um volume de vendas surpreendente como foi em 2017.”

Fatores para reação

De acordo com ele, fatores como a reação da economia como um todo e a realização de ofertas diferenciadas dos fabricantes - juntamente com a necessidade do consumidor de atualizar seus equipamentos -, foram cruciais para que o crescimento do segmento ultrapassasse as expectativas traçadas pelo segmento. Para o ano de 2018, a consultoria projeta crescimento de 2% no segmento de impressoras.

“Muitos consumidores domésticos, profissionais liberais e empresas estavam trabalhando com equipamentos defasados e adiando a troca desde 2016. Ano passado, com a volta da confiança na economia, produtos mais baratos e pacotes promocionais, o consumidor aproveitou para comprar máquinas novas”, analisa Sakis

Os dados apresentados pela consultoria fazem parte do estudo IDC Quarterly Hardcopy Printer Tracker Q4 2017, realizado pela IDC Brasil