Publicado em

São Paulo - O Grupo Pão de Açúcar (GPA) parece sair novamente à frente da concorrência ao adotar uma estratégia diferenciada no ramo de produtos de marca própria: abrir lojas físicas exclusivas, dentro de suas unidades. É este o caso da marca Taeq, criada pela empresa para produtos de enfoque sustentável, cuja maioria é voltada a moda esportiva (roupas e acessórios), e oferecida a público mais exigente.

As vendas têm sido favoráveis, tanto que a rede afirma ter 50 novos projetos para o segmento de marca própria, que conta hoje na linha Taeq com um mix de 1.000 produtos. A marca, que tem como foco a sustentabilidade, receberá um investimento de R$ 8 milhões para desenvolvimento de novos produtos, aplicação em canais e ações de marketing.

Considerada a primeira marca própria no País a contar com lojas exclusivas de seus produtos, a Taeq hoje tem15 lojas exclusivas, 11 das quais estão em São Paulo (duas dentro da rede Extra e nove em lojas do Pão de Açúcar). Há, ainda, duas unidades Taeq no Rio de Janeiro e uma em Brasília (DF), além de uma em Fortaleza (CE).

Questionada sobre a expansão do número de lojas Taeq, a gerente da área de produtos Marcas Próprias, Isadora Sbrissa de Campos, afirma apenas que por questões estratégicas não se pronuncia a respeito de novas lojas, mas diz que o Pão de Açúcar foi o pioneiro desse ramo no Brasil, que continua sendo o único e que terá novidades ainda este ano. "No final de 2011 vamos lançar uma barrinha de cereal feita com a colaboração dos consumidores que participaram da campanha 'Barrinha do meu jeito', no Facebook", enfatiza.

Além das lojas próprias e das unidades do GPA, a Taeq está presente nas academias A! Body Tech localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. Nestes locais são vendidos barras de cereais e isotônicos da marca.

Carimbo GPA

O Grupo Pão de Açúcar, que está presente no segmento de marcas próprias desde a década de 1970, tem nove marcas exclusivas nas prateleiras do mercado brasileiro, que são: Casino e Club des Sommeliers (nas categorias de alimentos e bebidas), Cast, Bambini, Cherokee (têxtil), Homeleader e Cyber (eletro).

Há dois anos o grupo lançou também a Qualitá, que conta hoje com mais de 1.200 itens em nove categorias e oferece produtos básicos, como arroz, feijão, café, ovos, frutas e verduras, além de linhas de higiene e limpeza. Recentemente o GPA foi mais uma vez para fora do País buscar mais uma inovação. Segundo o vice-presidente do grupo, Hugo Bethlem, hoje alguns produtos vendidos na rede que ele gere já podem ser rastreados por trazer orientação de sua procedência.

"O nosso cliente consegue fazer o rastreamento por meio do smartphone, obtendo mais informações sobre produtos da marca Taeq oferecidos no sacolão das lojas", enfatiza.

Concorrência

As concorrentes também líderes Carrefour e Walmart também têm uma extensa lista de itens marca própria. No caso da francesa Carrefour, atualmente a rede conta com cerca de 1.200 produtos com sua assinatura. A rede possui quatro marcas próprias: Linha Viver, Carrefour, Selection e Garantia de Origem. Quando é questionada sobre a possível instalação de uma loja própria para as suas marcas, a empresa não se pronunciou.

Modelo estrangeiro

O segmento de marca própria movimentou ano passado cerca de R$ 177 bilhões, e segundo a presidente da Associação Brasileira de Marcas Próprias (Abmapro), Neide Montesano, este tipo de negócio é um conceito europeu muito utilizado. "Na Europa e também nos Estados Unidos este modelo é comum tanto no varejo supermercadista quanto no de vestuário", explica Neide.

O Brasil segue a tendência, e daqui a algum tempo outras marcas adotarão este modelo de negócios para valorizar o seu empreendimento e aumentar o faturamento. "Na Suíça, por exemplo, o mercado está consolidado ao ponto de a marca própria ser responsável por 48% do faturamento da empresa no país", enfatiza.

Segundo a entidade, atualmente o Brasil conta com 65 mil itens de marca própria que são responsáveis por 4,8% do mercado varejista, que em 2009 obteve um faturamento de R$ 177 bilhões. O número de itens é 18% maior quando comparado ao do mesmo período do ano anterior.

Os produtos são entre e 10% e 20% mais baratos do que os itens posicionados na mesma categoria. Os produtos que mais se destacam neste meio, com 61% de crescimento em comparação ao mesmo período móvel anual (agosto de 2009 a julho de 2010), são as cestas de bebidas não alcoólicas. Dentro desta cesta, a categoria sucos prontos teve um aumento de 95% e respondeu por 7,8% de participação no mercado.