Publicado em

SÃO PAULO - Fundada pela família Savegnago na cidade de Sertãozinho (SP), a rede Savegnago Supermercados, que detém atualmente 19 lojas em cidades como Ribeirão Preto e Franca, afirma responder pelo maior faturamento por metro quadrado do Estado de São Paulo.De acordo com Sebastião Savegnago, diretor e um dos fundadores da rede, ao lado de seu pai e de dois irmãos, o faturamento por ano, por metro quadrado, é R$ 22 mil e resulta do foco no negócio, sempre de olho em novos serviços no ponto-de-venda.

"Mantemos o foco no setor e nos preocupamos em modernizar e ampliar as lojas, também estamos ampliando a variedade de produtos, com mais de 18 mil itens", disse ele. O executivo explica que na maioria das lojas foram implantadas rotisserias, além de seções de flores e uma área maior para produtos como vinhos, com profissionais especializados para orientar a venda, por exemplo.

A rede, que faturou R$ 703 milhões em 2008, mostra o potencial das empresas regionais de varejo que têm disputado o mercado com as líderes. Para Savegnago, uma empresa não vira exemplo de sucesso do dia para a noite, mas "passo a passo": a história da rede começou em 1976 com um pequeno supermercado de 300 metros quadrados para alcançar as 19 lojas de hoje. Ele explica que a meta é sempre manter o foco no setor e preocupar-se em modernizar as lojas.

Ao perceber a mudança do comportamento do consumidor, já mais otimista com a economia, a rede de Savegnago, ou Chalim, como também é conhecido o diretor, mantém metas de expansão e as próximas cidades escolhidas para a abertura de novas lojas são Araraquara, Matão e São Carlos, todas em 2010.

Nesses locais, a empresa já adquiriu terrenos, mas ainda não tem previsão de investimento. "Tivemos apenas um pouco mais de dificuldade em janeiro e fevereiro e a administração ficou mais atenta à desperdícios, mas não alteramos nenhuma meta", afirma.

Este ano, mais duas lojas também devem ser abertas, uma em Bebedouro e outra em Ribeirão Preto, com investimentos de R$ 4 milhões, já que a construção ficará a cargo de outros investidores: os Savegnago deverão só gastar em equipamentos. Em média, quando constroem uma unidade gastam R$ 7 milhões, sendo que financiam os equipamentos por meio do Finame e no restante usam recursos próprios. A loja em Ribeirão Preto ainda terá um posto de combustível, área em que a rede quer atuar, seguindo os passos de líderes como o Grupo Pão de Açúcar , Carrefour e Wal-Mart.

Outro passo na modernização da Savegnago será a construção de seu primeiro Centro de Distribuição, em Ribeirão Preto, com um sistema de cross docking, que permite uma operação mais rápida de abastecimento das lojas. Antes, a compra era centralizada, mas os fornecedores faziam a entrega nas lojas; agora também já compraram 24 caminhões para ter maior agilidade.

Para Sussumo Honda, presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as redes têm mesmo ganhado força e acirrado a disputa no interior do Estado, de olho no aumento da renda muitas vezes devido ao agronegócio.

O setor supermercadista deve crescer este 4,5% frente a 2008, sendo a expectativa anterior de alta de 2,5%.

Fundada pela família Savegnago, da cidade de Sertãozinho (SP), a rede Savegnago Supermercados, que faturou R$ 703 milhões no ano passado e tem 19 lojas em cidades como Ribeirão Preto e Franca, garante responder pelo maior faturamento por metro quadrado do Estado de São Paulo.

Sebastião Savegnago, um dos fundadores da rede, ao lado de seu pai e dois irmãos, diz que o faturamento médio por ano, por metro quadrado, é de R$ 22 mil e a meta é abrir unidades com postos de gasolina.