Publicado em

são paulo - Pequenas cadeias de supermercados beneficiam-se do oferecimento de recarga de celular pré-pago. A inclusão do serviço nas lojas faz aumentar o movimento e populariza um mercado avaliado em R$ 2 bilhões. Na Bahia, a rede TCB Supermercado viu crescer 30% a freqüência de consumidores, desde que aderiu à tecnologia, em setembro do ano passado.

"O serviço traz um aumento de fluxo de clientes e de consumo, alavancando as 'vendas por impulso'", afirmou o diretor-geral da companhia, Tarcio Bastos. Na visão do empresário, o consumidor do pré-pago entra no supermercado para recarregar o celular e, estimulado pelo local, acaba comprando produtos do varejo.

Atualmente, a TCB realiza sete mil transações de recarga por mês nas cinco lojas de que dispõe na Bahia. O fornecedor do serviço é a RV Tecnologia, que concede aos parceiros comerciais uma fatia de 5% a 6% do valor obtido com cada transação. O mercado da recarga, segundo o diretor-geral da RV, Valmor Bosi, é bilionário.

"No Brasil, há 180 milhões de celulares pré-pagos. Cada usuário gasta de R$ 3 a R$ 15 por recarga e faz de uma a 1,5 recarga por mês. As transações de venda chegam a R$ 2 bilhões", calculou Bosi. Sua empresa, que gere 35 mil pontos de recarga no Brasil, irá investir, neste ano, R$ 10 milhões na modernização da rede e em melhorias tecnológicas.

Em Minas Gerais, com duas lojas, a rede de supermercados Super Kalu também é parceira da RV. A empresa realiza duas mil transações de recarga por mês, aderiu à tecnologia para incrementar o próprio faturamento e vê vantagem na espécie de chamariz de clientela que o serviço representa para o varejo.

"Os clientes acabam consumindo mais [ao ir somente para recarregar o celular, acabam por fazer compras]. A principal vantagem é o aumento considerável das vendas por impulso. O cliente vai para a loja com o objetivo de comprar a recarga e cede às propagadas e ofertas anunciadas", declarou o sócio-proprietário da companhia mineira, Lallier Rabelo.

No outro lado do balcão, a fornecedora da tecnologia contabiliza 24 mil estabelecimentos comerciais na carteira de pontos de recarga. Por meio dos quais, a companhia realiza dez milhões de transações por mês, que envolvem as empresas de telefonia Claro, Embratel, Nextel, Oi, Telefônica, TIM e Vivo.