Publicado em

A fabricante de utilidades domésticas Tupperware quer aproveitar sua estrutura de venda direta no País para comercializar cosméticos. Com produtos importados, a estratégia da companhia é crescer em um segmento no qual a concorrência já está consolidada.



"Diferente de algumas marcas, não estamos em uma posição em que precisamos brigar muito para ficar na liderança. A marca Tupperware tinha 1,3% de market share em 2013, o que nos coloca como entrantes em venda direta", afirma a diretora de marketing da companhia, Luiza Souza.



Segundo ela, apesar do cenário de desaceleração do consumo, a baixa participação faz com que a Tupperware tenha muito espaço para crescer, principalmente no segmento de higiene e beleza, no qual o mercado brasileiro ainda é atrativo.



"Outra vantagem é que a nossa marca de cosméticos nasce com uma base de vendedoras consolidada, que é conhecida pelo nosso público-alvo", diz ela. A executiva conta que a estratégia é oferecer os produtos da Nutrimetics para as mesmas consumidoras de utilidades domésticas da Tupperware.



Com a nova marca, a companhia quer elevar a produtividade das vendedoras. "Queremos ser uma opção de produto (cosméticos) para essa vendedora oferecer ao cliente final, porque nós sabemos que ela vende itens de outros catálogos."



Luiza lembra que o bom resultado da Tupperware no País nos últimos anos é um dos principais fatores que motivaram o lançamento da marca. No primeiro trimestre, as vendas da empresa no Brasil avançaram 46% contra igual período do ano anterior, mantendo a média de dois dígitos registrada nos últimos anos.



"Temos fôlego para investir, mas esse lançamento é mais low profile, porque o nosso foco está nas vendedoras, que tem retorno de investimento maior que as grandes mídias de massa", cita. Luiza não descarta a produção local dos cosméticos, mas pondera que o investimento nessa área dependerá da evolução das vendas da nova marca e do ganho de participação no segmento.



A companhia não divulga o valor dos investimentos e a expectativa de vendas da nova marca no mercado brasileiro.