Publicado em

Até 2020, São Paulo será a metrópole com maior rede pública de Wi-Fi da América Latina. A previsão é da Prefeitura de São Paulo, que lançou ontem, 15, na zona leste da capital, a expansão do Programa WiFi Livre SP.

Ao todo, existem 120 pontos de acesso à internet dispostos em praças e parques da capital paulista, ao custo de R$ 12 milhões ao ano para a administração pública. Com a expansão da rede de conectividade, São Paulo terá 621 pontos de acesso livre e gratuito, incluindo equipamentos públicos e pontos turísticos, sem onerar os cofres públicos.

Para viabilizar essa expansão da conectividade, ao longo de 2017 e 2018, a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia realizou estudos, abriu Procedimento Preliminar de Manifestação de Interesse, fez consultas públicas e publicou um edital de credenciamento por meio do qual empresas interessadas possam receber como contrapartida o direito de explorar modelo de negócios baseado na publicidade digital.

Mais de 300 pontos de acesso foram direcionados para regiões de vulnerabilidade social, a fim de promover a democratização do acesso à internet e a inclusão digital. Postos de saúde, telecentros, clubes desportivos, CEUS, teatros e bibliotecas, além de praças e parques, serão contemplados com o acesso gratuito.

Modernização

As especificações do programa estabelecem que cada usuário conectado terá uma conexão individual e efetiva de, no mínimo, 512kbps, com qualidade e cobertura suficientes para assistir vídeos, baixar arquivos, fazer videochamadas e navegar rapidamente pela internet. Qualquer usuário com smartphone, tablet ou notebook com um chip de celular ativo pode acessar a rede.

O programa de Expansão WiFi Livre SP está dividido em duas fases. A primeira, que teve início em março e está em andamento, vai modernizar os 120 pontos já existentes. A segunda fase tem início em julho, quando se iniciam as instalações de novos pontos em larga escala. Segundo a Prefeitura, a criação de novas localidades vai se intensificar em todas as regiões, a partir do segundo semestre deste ano. O acompanhamento do cronograma pode ser feito pelo endereço wifilivre.sp.gov.br.