Publicado em

Começa nesta quarta-feira (7) a edição 2018 do Campetro Energy - Congresso, Sala de Crédito, Ideathon (maratona de ideias), Carreta Indústria 4.0 e Encontro de Negócios. Promovido pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas e o Departamento de Infraestrutura da Fiesp-Ciesp, o evento é das 8 às 18 horas, no Expo Dom Pedro, anexo ao Parque D. Pedro Shopping, em Campinas, com patrocínio da Petrobras.

Nesta edição do Campetro Energy, serão abordados os mais importantes assuntos ligados a cadeia de petróleo, gás natural e energias renováveis. O Congresso contará com diversas palestras ligadas ao petróleo e as novas tecnologias, incluindo o desenvolvimento do gás no Brasil, energias solar, eólica e fotovoltaica e financiamentos para o setor e oportunidades para a indústria. A palestra magna da Petrobras acontece às 9h30, seguindo-se a programação no período da tarde. A Sala de Crédito com uma nova configuração e presença das Fintechs (produtos financeiros inovadores) será na manhã do evento.

No período da tarde, a partir das 13h30, acontece o Encontro de Negócios do Campetro Energy 2018. A diretoria do Ciesp-Campinas prevê que o Encontro vai gerar para os participantes, negócios em torno de R$ 10 milhões, dentro de um período de seis meses. Essa expectativa, conforme a entidade, deve-se ao alto nível das empresas líderes, aos representantes da cadeia de petróleo, gás além de energias renováveis. A expectativa para esse Encontro é que sejam realizadas em torno de 1.200 reuniões de negócios entre líderes e empresas participantes.

O diretor titular do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, falou sobre a importância da parceria da Petrobras no evento. "A satisfação que a gente teve de ver que a Petrobras já se recuperou, já voltou para o mercado, voltou a participar das coisas e compor essa parceria com a gente. Na verdade essa parceria nunca acabou. Quando a Petrobras esteve impossibilitada de participar com patrocínio, ela participou como empresa e nos ajudou. Agora nós temos o prazer de ter novamente a Petrobras como patrocinadora", destaca.

O Campetro Energy tem como principal objetivo fomentar a cadeia de petróleo, gás natural e energias renováveis do País, principalmente na Região Metropolitana de Campinas. No evento serão apresentadas as experiências sobre a tecnologia do setor e discutidas as principais demandas e necessidades da área. Nesse ambiente, que envolve Congresso, Industria 4.0, Sala de Crédito, Ideathon e Encontro de Negócios, serão criadas oportunidades de negócios, principalmente para as micro, pequenas e médias empresas, que podem virar potenciais players, gerando maior competitividade, inovação e qualidade na prestação de serviços às empresas do segmento. "Não há dúvida que o Polo petroquímico da nossa região é importantíssimo. Talvez seja o nosso principal setor de cadeias produtivas locais. O fato de nós termos aqui no meio da nossa região um pólo petroquímico do porte da refinaria de Paulínia, que é a maior da América Latina, a gente tem que valorizar isso e trabalhar para que se desenvolva cada vez mais", enfatiza Nunes.

A Escola Móvel do Senai-SP – laboratório tecnológico sobre rodas, estará aberta à visitação no Campetro Energy 2018. A carreta da Escola Móvel do Senai-SP vai mostrar ao público as tecnologias e os processos que estão revolucionando a manufatura industrial no mundo a evolução da automação, a chamada Indústria 4.0. Na visita, o público conhecerá as tecnologias da quarta revolução industrial nos processos de fabricação das empresas, tais como robótica avançada, computação em nuvem, integração de sistemas, manufatura digital e aditiva, segurança digital e big data, entre outras. "É importante que o empresário industrial entenda que senão se adaptar aos novos tempos, vai ficar para trás, não vai ter competitividade, temos batido muito nisso. Nós temos levado empresários ao Senai Roberto Mange para conhecer as estações robotizadas 4.0 para que conheçam e também percam o medo da tecnologia nova, que na verdade é um conjunto de tecnologias e atitudes que mudam todo o conceito da indústria", conclui Nunes.