Publicado em

A prefeitura de Campinas, maior cidade do interior de São Paulo, decretou situação de emergência pública, na noite desta quinta-feira (24), devido ao desabastecimento causado pela greve dos caminhoneiros.

Na manhã desta sexta-feira (25), a maioria dos postos da cidade estava sem combustível. Conforme nota do município, a decisão foi tomada para "resguardar serviços que são plenamente essenciais, como coleta de lixo, transporte público, ambulâncias, entre outros, e para evitar colapso em áreas imprescindíveis para a população".

O decreto determina que todas as empresas que comercializam combustíveis devem assegurar prioridade para atendimento dos serviços públicos essenciais, como o transporte de paciente, distribuição de medicamentos, transporte de alunos e de gêneros alimentícios.

O decreto inclui ainda como prioridades a coleta de lixo, segurança pública e ações da Defesa Civil. A norma vigora até que o fornecimento de combustível no município seja normalizado.