Publicado em

ARARAQUARA

Uma análise feita pela Cervejaria Heineken, na Holanda, apontou pela segunda vez que a cerveja Heineken produzida em Araraquara, interior de São Paulo, apresenta sabor e aroma com qualidade acima da média pré-estabelecida para a produção da bebida, em uma comparação com mais 63 cervejarias no mundo. Em 2013, a Cervejaria Heineken de Araraquara foi avaliada com uma nota de 6.8 pontos, em uma escala que varia de 5 a 7,5; sendo que a média global foi de 6,7 pontos. Em março de 2014, a Cervejaria Araraquara também foi avaliada e atingiu o melhor padrão global com a mesma nota 6.8 pontos.

Mensalmente, cada uma das 64 unidades produtoras de Heineken envia uma amostra da cerveja para o painel de degustação, na Holanda, que é avaliada por dez degustadores treinados, responsáveis por comparar os perfis gustativo e aromático das cervejas com um padrão pré-estabelecido. O resultado final de todas as análises determina uma média de qualidade padrão, que todas as cervejarias devem seguir.

De acordo com Saulo Miguel, diretor da cervejaria de Araraquara, o desempenho apresentado é resultado de vários fatores como a capacitação técnica do corpo operacional, tecnologia aplicada aos processos por meio de automação e equipamentos de última geração, além de uma gestão de rotina que se dá por meio de um programa denominado TPM (Total Perfeição da Manufatura).

"Receber uma nota 6.8 significa 'tirar um dez' na prova! O grande diferencial desta vez é que nossa nota foi melhor do que o 'padrão' utilizado para comparação sensorial. Ou seja, o padrão eleito no mês teve uma nota 6.7 e nossa amostra 6.8, sem qualquer nota aromática ou de sabor fora dos padrões estabelecidos. Este é o fato inédito para Araraquara!", diz.

Segundo informações da empresa, apesar de a qualidade e características da Heineken ser a mesma no mundo todo, as unidades estabelecem esta comparação como uma espécie de 'calibragem', que serve como termômetro para assegurar que a Heineken produzida no Brasil, por exemplo, tenha o mesmo sabor das demais consumidas nos demais países. "Essas diferenças encontradas nas amostras são minuciosas, impossíveis de serem detectadas pelos consumidores, por isso dispomos deste painel de técnicos altamente treinados e experientes, capaz de apontar esta diferença sensorial. Destacar-se neste cenário nos deixou muito satisfeitos e otimistas com o nosso trabalho", ressalta Saulo.

Durante a avaliação, amostras de todas cervejarias, além do modelo padrão, são expostos aos degustadores sem que eles conheçam a origem da produção. Este painel faz sua avaliação comparando toda a amostragem com o padrão pré-escolhido, em um teste cego. Cada um dos copos recebe notas baseadas em dez critérios e, com base nos resultados, é estabelecida a média padrão para todas as cervejas da marca, produzidas no mundo, além das notas finais de cada cervejaria.

A empresa divulga que, na cervejaria de Araraquara, desde a entrada do malte até a saída do produto acabado são aplicados centenas de testes.

"Para atingir a nota máxima de todas as 64 unidades no mundo que fazem a Heineken, foi necessária uma sinergia perfeita entre equipes dos processos de produção da cerveja, fabricação do mosto, envasamento, controle de qualidade, armazenagem, entre outros".

A Heineken Brasil foi criada formalmente em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo Femsa. Baseada em São Paulo, é subsidiária da Heineken NV, uma das maiores do mundo. No país gera mais de 1,7 mil empregos e possui sete cervejarias, em Jacareí e Araraquara (SP), Gravataí (RS), Ponta Grossa (PR), Feira de Santana (BA), Pacatuba (CE) e Manaus (AM) com capacidade de produção de 19 milhões de hectolitros.