Publicado em

As fortes chuvas que atingiram a cidade de São Paulo e o Grande ABC na noite de domingo e na madrugada desta segunda-feira (11) causaram diversos transtornos. O Corpo de Bombeiros confirmou 11 mortes no Estado até o final da tarde de ontem.

Segundo a Defesa Civil, somente em Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, foram registrados quatro óbitos e dois feridos no desabamento de uma casa após deslizamento de terra.

Na avenida do Estado, na divisa entre São Paulo e São Caetano do Sul, quatro pessoas foram arrastadas pela enxurrada e morreram por afogamento, de acordo com a Defesa Civil: três em São Caetano e uma em São Paulo. Outras 12 pessoas foram resgatadas – sendo quatro mulheres e 8 crianças, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

Com o transbordamento do Rio Tamanduateí, a situação na região do Ipiranga, na zona Sul, foi a mais crítica e a área segue em estado de alerta desde às 20h40 do domingo (10). As Marginais do Pinheiros e do Tietê ficaram travadas em diversos pontos.

Em São Bernardo do Campo, um motociclista morreu afogado. Foram registrados na cidade diversos alagamentos e quedas de árvore. Um deslizamento em Embu das Artes teve três vítimas socorridas – sendo uma delas uma criança que veio a óbito no hospital.

Cidades do ABC

Os municípios da região metropolitana de São Paulo tiveram diversos pontos de acesso e de infraestrutura paralisados desde a noite chuvosa de domingo. Segundo a prefeitura de São Bernardo do Campo, para evitar maiores impactos, a Operação Pé D'água foi ativada, bloqueando diversas vias da cidade, como Avenida Faria Lima e Rua Jurubatuba. Até às 10 horas desta segunda-feira, havia pontos de alagamento no bairro do Rudge Ramos. Também foram registrados deslizamentos de terra na Vila São Pedro e na Vila São José.

Em São Caetano do Sul, de acordo com a prefeitura, todas as entradas e saídas da cidade ficaram prejudicadas. A Secretaria de Mobilidade Urbana e a Defesa Civil recomendam que os moradores só saiam de carro em caso de grande necessidade, principalmente para se deslocar para fora da cidade. Os bairros mais atingidos foram Fundação, Prosperidade, São José e Jardim São Caetano.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), informou que o Estado está tomando medidas preventivas em conjunto com as Defesas Civis dos municípios, com a Polícia Militar e com o Corpo de Bombeiros. O conselho, segundo ele, é que os cidadãos evitem sair de suas casas, exceto para o trabalho, nos próximos dias.

Gestão

Prefeito em exercício de São Paulo nesta segunda-feira, Eduardo Tuma disse que não havia nada que pudesse ter sido feito antes para evitar a tragédia. Após retirar uma licença não remunerada, de 9 a 15 de março, por motivos pessoais, o prefeito da capital Bruno Covas retornou ontem à tarde às atividades. Como estratégia contra os impactos do excesso de chuvas nos próximos dias, ele determinou a criação de um comitê de crise para acompanhar as medidas tomadas pelos secretários.