Publicado em

O número de alvarás concedidos na cidade de São Paulo para construção de empreendimentos verticais foi de 822 projetos nos últimos 12 meses (encerrados em junho), após atingir o teto da série histórica no período anterior (861 projetos até maio).

Os dados são do Indicador Antecedente do Mercado Imobiliário (Iami), feito pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Com base nesses dados, a alta na capital paulista encerrada em junho foi de 58,7%.

Em termos de distribuição espacial, a maior parte dos alvarás de empreendimentos concedidos para projetos de empreendimentos verticais nos últimos 12 meses envolveu o prospecto de atividade construtiva da zona leste do município (região que concentrou 44,4% do volume de alvarás concedidos no período), seguida pela zona norte (18,1%), zona sul (17,8%), zona oeste (16,4%) e Centro (3,3%).

Com respeito ao comportamento evolutivo, a análise segmentada do Indicador Antecedente do Mercado Imobiliário para as diferentes regiões da capital paulista destaca o crescimento do interesse em projetos verticais na zona oeste, que registrou avanço de 121,3% no volume de alvarás concedidos nos últimos 12 meses em relação ao período precedente – resultado similar ao observado na zona sul da cidade (+121,2%).

Locação

Estudo realizado pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação), no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, registrou aumento de 13,7% no número de ações locatícias na capital paulista em julho, comparado ao mês anterior. Foram protocoladas 1.413 ações no sétimo mês do ano, contra 1.243 ações registradas no mês de junho.

O quadro apresenta uma evolução, se comparado com o mesmo período em 2018, quando foram protocoladas 1.435 ações, uma redução de 1,5% nas demandas. Liderando o ranking dos processos está a falta de pagamento do aluguel, com 1.288 processos (91,2%), seguidas das ações ordinárias/despejo, com 64 (4,5%). Já renovatórias e consignatórias somaram 52 (3,7%) e 9 (1%) ocorrências, respectivamente.