Publicado em

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou o início do Corujão da Saúde em três regiões do estado a partir de 25 de fevereiro e quatro novos Batalhões de Ações Especiais de Polícia (Baep) a partir de 12 de abril, ambas promessas de campanha.

O Corujão da Saúde, que tem como objetivo zerar a fila por ultrassom, mamografia e endoscopia, começará na Grande São Paulo, Campinas e Vale do Paraíba. No total, são 155 mil exames que devem ser realizados nessas três regiões.

O atendimento, segundo o governador, será feito em horários alternativos, por meio da ampliação da oferta nos serviços da rede própria estadual – hospitais Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) – e também em parceria com hospitais privados.

A Secretaria da Saúde diz ter contactado os hospitais Sírio-Libanês, Albert Einstein, Beneficência Portuguesa, HCor, Santa Casa de São José dos Campos, Hospital Vera Cruz (Campinas) e WK Diagnose (Taubaté). "Dos cálculos que fizemos, em 60 dias conseguimos diminuir significativamente essas filas", diz o secretário da Saúde, José Henrique Germann Ferreira.

Segurança

Também uma das plataformas de campanha de Doria ano passado, a questão da segurança pública será contemplada com a criação de quatro novas unidades Baep. “Todos os policiais que vão atuar no Baep passarão por treinamento no Comando de Policiamento de Choque com o padrão Rota, para o patrulhamento tático, gerenciamento de crise, negociações com reféns, busca e apreensão de artefatos explosivos, patrulha em locais de risco, ações táticas especiais, controle de multidões e policiamento em manifestações”, disse Doria.

São Bernardo do Campo será a sede do 6º Baep, que atenderá todos os municípios da região do Grande ABC. O 7º Baep será instalado no centro da Capital e abrangerá a área do Comando de Policiamento de Área 1 (CPA/M1). O 8º Baep será criado em Presidente Prudente e o 9º em São José do Rio Preto, atendendo todos os municípios das respectivas regiões.

“Teremos novos Baeps atendendo os comandos de policiamento do interior, batalhões em que articulamos a força no interior, dando ao comandante a capacidade de intervenção”, ressaltou o secretário de Estado da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos.

O efetivo a ser empregado nas novas unidades passará por treinamento sob coordenação e aplicação do Comando de Policiamento de Choque (CPChq), que trarão disciplina específicas aos militares.