Publicado em

SÃO PAULO

Estreia amanhã (5), na Sala Paschoal Carlos Magno, do Teatro Sérgio Cardoso, o espetáculo de dança R-Entorno.

Inspirada pelo mito grego de Medeia, retratado na tragédia de Eurípedes, a montagem tem direção e coreografia de Woody Santana, com interpretação da bailarina e atriz Paula Miessa. A temporada vai até 19 de fevereiro, com sessões às quartas (seguida de debate com a plateia sobre o tema e a construção da obra) e às quintas-feiras.

Com apresentações quartas e quintas, o Teatro Sérgio Cardoso, da Secretaria de Estado da Cultura, gerido em parceria com a Associação Paulista dos Amigos da Arte/APAA, mantém em sua programação semanal espetáculos contemplando pesquisa e improvisação na área da dança.

Para Paula Miessa, o diferencial do espetáculo é a comparação de Medeia com as mulheres atuais, propondo uma outra visão da clássica história. "Ao mesmo tempo que mostramos esse lado forte da Medeia do mito grego, também mostramos o lado frágil e humano da personagem. Ela não é fria, ela é forte e humana. Ela se vinga e ao mesmo tempo se desespera diante do que fez e do desfecho. Mas ela acaba repensando em tudo o que aconteceu, decide resolver todas as questões e começar uma vida nova."

Segundo a história original, Medeia é uma feiticeira apaixonada que trai a família para ajudar Jasão. Mas, após a fuga, Jasão se casa com uma outra mulher e acaba construindo uma nova família. Com isso, Medeia decide se vingar da infidelidade do marido, matando os próprios filhos - para causar dor a ele - e foge de novo.

Composto na linguagem teatro-dança, R-entorno remete a um contexto contemporâneo e traz uma mulher moderna de volta ao conflito e carregando um sentimento de culpa pelo desfecho estabelecido. O objetivo do espetáculo não é contar o mito, mas sim traduzir o que existe nas relações humanas de hoje.

O diretor Woody Santana é formado em dança pela Faculdade de Artes do Paraná, com bacharelado e licenciatura, em 2007, e especialista em Direção Teatral pela Escola Superior de Artes Celia Helena em 2013. Atualmente faz mestrado em Artes Cênicas com ênfase em dança na Universidad Rey Juan Carlos em Madrid.

Foi bailarino da Companhia Masculina Jair Moraes (2004- 2007), do Balé Teatro Guaíra (2005-2007), do Cisne Negro Companhia de Dança (2008), do Projeto Mov-ola (2009-2010), do Balé da Cidade de São Paulo (2009 -2013) e, hoje, participa de projeto no Conservatório Superior de Danza de Madrid - Mária de Ávila. Como coreógrafo, criou para workshops nas companhias com as quais atuou, além de trabalhos independentes, como Fronteira em Volume, Fragile, Sadik, Instante, Reverie, Passagem e Butterflies in my Stomach. Mais recentemente, R-entorno e Fenômeno Privado (em criação).

A atriz e bailarina Paula Miessa tem formação acadêmica e formação nas linguagens de dança contemporânea, teatro musical, teatro coreográfico e Ginástica Rítmica Desportiva.

Paula iniciou sua carreira profissional na companhia de dança-teatro Artista do Corpo, dirigida por sua mãe Dinah Perry, onde desenvolveu diversos trabalhos com essa linguagem, sendo um deles dirigido por Jairo Mattos. Trabalhou com Paulo Goulart Filho (seu pai) nos espetáculos Eu e Ela (de Clodovil Hernandez) e A Viúva Alegre; atuou na novela Dance Dance Dance (Rede Band) como Funny Lu; participou da companhia internacional Houston Metropolitan Dance Company, em Houston, EUA; atuou nos espetáculos de teatro-musical O Rei e Eu e Evita, com direção de Jorge Takla; e integrou o Balé da Cidade de SP. Intérprete-criadora, Paula desenvolve trabalho autoral e de pesquisa com base em teatro e dança contemporânea, e agora estreia seu primeiro espetáculo solo, R-Entorno.