Publicado em

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta terça-feira, 2, que vai abrir um escritório comercial em Xangai, na China, para fortalecer a relação bilateral entre o Estado e o país.

O escritório vai ser usado para firmar a cooperação em oito áreas estratégicas do Estado - agricultura, tecnologia, infraestrutura, logística, desenvolvimento econômico, energia e turismo -, além de servir como parte do processo de desestatização do governo paulista.

Segundo João Doria, uma missão do governo do Estado de São Paulo vai à China entre os dias 03 a 10 do mês de agosto para estreitar laços entre os dois países .

“Nessa missão à China, vamos levar os programas de desestatização que forem pertinentes. Apresentaremos estes programas a bancos estatais, paraestatais, investidores governamentais e privados”, afirmou.

Segundo o governador João Doria, serão apresentados à China todos os programas de desestatização de ferrovias, rodovias, aeroportos, portos e programa de desenvolvimento agrícola do governo do Estado de São Paulo.

Encontro

Depois do anúncio, Doria recebeu o ex-governador Geraldo Alckmin, do mesmo partido, para almoço no Palácio dos Bandeirantes. O evento foi fechado à imprensa e constava na atualização da agenda de Doria, feita no começo da tarde. Mas a pauta do almoço não foi divulgada. Participou ainda do encontro o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

O almoço ocorreu um mês antes da Executiva Nacional do PSDB, que vai definir os rumos do partido. Doria defende internamente que a presidência da sigla, hoje com Alckmin, fique com o ex-deputado e ex-ministro Bruno Araújo (PE). Após o almoço, o ex-governador deixou o Palácio sem falar com imprensa.