Publicado em

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (14) que irá indenizar as famílias das sete vítimas do massacre da escola estadual de Suzano (SP). No entanto, para obter o pagamento proposto de R$ 100 mil, será preciso uma garantia de que o Estado não será processado.

O pagamento será feito em 30 dias, garantiu o governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa. “Evidentemente, cada familiar pode tomar a decisão de receber [a indenização] ou preferir demandar judicialmente o Estado. Obviamente está dentro do seu direito.”

A secretaria da Educação do Estado informou ainda que os procedimentos de segurança em todas as 5,3 mil escolas serão revisados e, conforme a Pasta, está em estudo um projeto para reforço à segurança nas escolas mais vulneráveis.

Na quarta-feira (13), dois ex-alunos, um de 17 anos e outro de 25 anos, entraram na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, e começaram a atirar, deixando sete alunos mortos, dois funcionários e nove feridos.

As aulas em todas as escolas públicas, estaduais e municipais, de Suzano estão suspensas até esta sexta-feira. Os professores da rede discutirão as propostas pedagógicas para acolhimento, na próxima semana, dos alunos e comunidade escolar.

Em conjunto com especialistas do Instituto de Psicologia da USP, Unicamp e Prefeitura Municipal de Suzano, a secretaria informou que deverá dar suporte pedagógico e psicológico para a estruturação de todas atividades. Ainda nesta quarta-feira, a secretaria de Estado da Justiça de São Paulo, por meio do Centro de Referência e Apoio à Vítima (CRAVI), integrou uma força-tarefa criada para atendimento psicológico às famílias das vítimas do massacre de Suzano.