Publicado em

SÃO PAULO

As características marcantes nos empreendedores - tanto os que se destacam dentro de uma empresa, como os que optaram por ter negócio próprio - agora são matéria escolar. No caso de colégios como os do grupo Eduinvest, tais competências integram o currículo desde o ensino fundamental até o médio. O projeto do Eduinvest baseia-se em estudos, notadamente as teses de James Heckman, professor da Universidade de Chicago e ganhador do Nobel, que provou que as capacidades não cognitivas são decisivas no mercado e na vida social e podem ser mensuradas a fim de identificar as etapas da vida escolar nas quais devem receber investimentos. Dentro dessa premissa, o Colégio Anhembi Morumbi foi um dos pioneiros na inclusão do empreendedorismo. Também gerido pelo Eduinvest, o Colégio Anchieta, de São Bernardo do Campo, comprova que projetos educacionais que integram as habilidades não cognitivas podem ser aplicados também em escolas mais técnicas. O grupo informa que estará atuando nos colégios de bairro, na formação de empreendedores. Nos de ensino técnico, como o Anchieta, na busca da empregabilidade.