Publicado em


OSASCO - A Prefeitura de Osasco, por meio do Departamento de Uso de Solo (DUS), incentiva a retomada da construção de um "megaheliporto" particular com 52 mil metros quadrados de área na altura do km 17 da Rodovia Anhanguera, com a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O espaço, que terminará de ser construído em junho de 2013, terá capacidade para receber 200 helicópteros, com estimativa de 150 decolagens e pousos diários, um volume que representa metade das operações da capital.



O futuro benefício para a cidade foi possível devido à autorização, por parte da prefeitura, de um alvará de reforma com acréscimo de área e demolição no local onde está sendo construído o heliporto.



Iniciativa privada



Trata-se de um documento administrativo assinado pelo prefeito Emidio de Souza no dia 10 de agosto de 2012, que dará direito à empresa privada Helibase de continuar as reformas do futuro Heliporto HBR, que já acontecem há três meses nas proximidades da Avenida Dr. Mauro Lindenberg Monteiro, 1.003, no Parque Industrial Anhanguera, em Osasco.



Com a finalização das atividades, o heliporto será o primeiro a operar 24 horas e receberá metade do volume da frota da Capital, que é de 400 helicópteros, segundo release da prefeitura de Osasco. O texto da prefeitura cita reportagem de jornal de São Paulo, segundo o qual o número de helicópteros cresce, em média, 20% ao ano na capital, e a frota do País soma 1.752 unidades.



Osasco abrigará dois dos quatro principais heliportos da Grande São Paulo. Atualmente, os helicópteros permanecem em Carapicuíba e ainda nos bairros do Jaguaré e do Morumbi, na capital, além dos hangares dos aeroportos do Campo de Marte e de Congonhas. Segundo dados da Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe), os hangares dos aeroportos de Congonhas e Campo de Marte operam com 90% de capacidade e os três heliportos estão no máximo de ocupação. Desta forma, o novo heliporto em Osasco surge para suprir a demanda do setor, desafogando o trânsito aéreo na capital, diminuindo o tempo de voo das aeronaves e ainda oferecendo um novo ponto de estacionamento.



A construção do heliporto é importante em um momento de pleno crescimento das empresas na cidade de Osasco.



De acordo com o secretário adjunto da Secretaria de Indústria, Comércio e Abastecimento (Sica), Carlos Sergio Borges, a cidade vive um momento de destaque no cenário econômico que se consolidará com o novo empreendimento. "A vinda de um heliporto irá afetar a decisão e vinda de várias e novas empresas. Osasco é cercada de grandes rodovias e temos um ótimo centro logístico. Esse é o motivo de muitas empresas se instalarem no município. Grandes empresas, por exemplo, terão boas razões para escolherem como sede Osasco pela localização. O heliporto com certeza atrairá investimentos devido às empresas entenderem a importância de uma área rápida de transportes que possibilite dinamizar os negócios", revelou.



Para se ter uma ideia da projeção econômica de Osasco, Borges ainda ressaltou o fato de a cidade assumir a 12ª colocação no Produto Interno Bruto (PIB) Nacional, 4ª no estado e 1ª na região oeste da Grande São Paulo. Ele explicou que o novo heliporto é uma ferramenta que poderá ficar à disposição das atuais 25.165 empresas abertas entre janeiro de 2005 e agosto de 2012, sendo 9.750 delas voltadas à microempreendedores individuais.



Borges é, sobretudo, entusiasta. "Com a desburocratização da abertura de empresa, promovida pelo prefeito Emidio, o empreendedor tem hoje direito a um alvará de funcionamento provisório na hora e em 10 dias está com o documento definitivo em mãos.