Publicado em

O preço do metro quadrado no Ibirapuera foi de R$ 19.128 no mês passado, o mais caro entre os bairros da capital, segundo o Index São Paulo, levantamento divulgado ontem (21) pelo portal Imovelweb.

Nas posições seguintes, apareceram os bairros Jardim Europa (R$ 17.330) e Vila Nova Conceição (R$ 16.905), com preços bastante superiores à média do metro quadrado de São Paulo (R$ 6.028). Já os valores mais baixos foram registrados em Guaianases (R$ 3.452), José Bonifácio (R$ 3.232) e Chácara Santa Etelvina (R$ 2.309).

De acordo com a porta-voz do relatório, os bairros mais caros não mudaram nos últimos anos. “Esses três [bairros] costumam revezar nas primeiras posições. São as áreas mais valorizadas da cidade e não perderam muito valor durante a crise econômica”, afirmou Angélica Quintela, responsável pelo marketing do Imovelweb.

Ela destacou a recente inauguração de estações de metrô, que também pesou para a manutenção das posições do ranking. A parada Moema, por exemplo, colaborou para que os preços do Ibirapuera seguissem entre os mais caros da capital.

Aluguel

No recorte de preços para aluguel, Vila Olímpia (R$ 4.467), Itaim Bibi (R$ 4.438) e Cidade Monções (R$ 4.335) foram os mais caros de maio, enquanto Cidade Líder (R$ 1.182), Raposo Tavares (R$ 1.138) e Vila das Belezas (R$ 970) tiveram os imóveis mais baratos para locação.

Segundo Angélica, também houve pouca mudança, nos últimos anos, entre os bairros de menor preço. “São as regiões mais afastadas da cidade, que continuaram com opções de comércio e transporte mais escassas”, explicou ela.

Rentabilidade

O levantamento também apontou os bairros mais rentáveis da capital em maio: Chácara Santo Antônio (8,9%), Paraíso (7,9%) e Santo Amaro/Paraíso do Morumbi (7,3%). Já os menos rentáveis foram Morro dos Ingleses (3,7%), Vila Mazzei/Vila Maria (3,6%) e Vila Maria Alta (3,5%).

“Houve maior rentabilidade nos bairros em que a redução nos preços dos imóveis, durante a crise, ocorreu em conjunto com a manutenção de aluguéis relativamente caros. Esse cenário incentivou as vendas no mês passado”, disse Angélica.

O investimento em apartamentos da capital se manteve estável no mês, registrando retorno de 5,4% ao ano. Com isso, são necessários 18,5 anos de aluguel para recuperar o gasto com a compra, tempo 2% menor que o visto há um ano.

Nos últimos 12 meses, as regiões sul e centro da capital paulista foram as mais rentáveis para os investidores, com retornos de 6,4% e 5,8% no período, respectivamente.

O Imovelweb, que faz parte do grupo argentino Naventé, é um portal online para compra e aluguel de imóveis.