Publicado em

Após verificar indícios de irregularidades na liberação de auxílio-doença para servidores municipais, a Prefeitura de Itapevi desmontou um esquema que desviou aproximadamente R$ 2 milhões do ItapeviPrev, o fundo de previdência do município.

As irregularidades foram desbaratadas por uma Comissão Permanente de Sindicâncias e Processos Administrativos Disciplinares, instaurada por determinação do prefeito da cidade, Igor Soares.

Iniciados em outubro de 2017, os trabalhos da comissão foram concluídos no início deste ano, resultando na abertura de 12 processos, dos quais quatro foram arquivados. Além disso, a demissão de nove servidores envolvidos no esquema – incluindo três médicos, um enfermeiro, um professor, um monitor e dois guardas civis municipais.

A documentação do processo está em fase final de tramitação para ser encaminhado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. O objetivo é reaver os recursos para os cofres públicos do município. As principais acusações envolvem concursados afastados em uma unidade e trabalhando em outra.