Publicado em

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do município de São Paulo para 2019 prevê aumentar a verba destinada à Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA).

A emenda, de autoria do vereador Gilberto Natalini (PV), pretende destinar 1% do total orçamentário da capital para a Secretaria municipal.

“É inacreditável que uma cidade como São Paulo reserve apenas 0,3% do orçamento para a área ambiental. Estou propondo aumentar até três vezes mais do que é agora. Ainda é pouco, mas dá para fazer muita coisa”, explicou o parlamentar.

Sem a mudança, a previsão é que a pasta receba R$ 211,6 milhões em 2019. Com o aumento do orçamento, a SVMA receberá cerca de R$ 500 milhões.

“Já chegou a ser destinado 1% na gestão de Gilberto Kassab, com Eduardo Jorge na Secretaria do Meio Ambiente. Mas faz tempo que separamos pouco dinheiro para o setor”, comentou.

A verba passada para a pasta é utilizada para planejar, ordenar e coordenar as atividades de defesa do meio ambiente na cidade.

A SVMA define então critérios para conter a poluição, manter os viveiros, parques e unidades de conservação, prestar serviços de atendimento e manejo da fauna silvestre, para a fiscalização e também plantio de árvores.

“Precisamos contratar tecnologia para estudar os problemas ambientais de São Paulo, e hoje existe tecnologia barata, que é possível de se fazer”, afirmou.

Despoluição de córregos

Outra proposta apresentada pelo vereador é a de manter o Programa Córrego Limpo nos 149 córregos já recuperados e ampliar o programa em 10%, recuperando mais 14 correntes de água.

O programa, que existe desde 2007, teve as atividades paralisadas entre os anos de 2013 e 2016, por conta da falta de adesão da administração municipal.

A paralisação prejudicou 50 córregos que já haviam sido limpos, mas voltaram a ficar sujos.

Em 2017, a iniciativa foi retomada e passou a constar no Contrato de Programa da Sabesp com a cidade. Com a cooperação, ambas as partes se comprometeram a cumprir as responsabilidades na limpeza de córregos.