Publicado em

O Laboratório de Realidade Virtual da Fatec de Botucatu, vinculado ao curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, firmou parceria com a Prefeitura local para desenvolver o projeto “Ambiente Virtual Interativo para Educação e Conscientização sobre o Trânsito”.

Nesse meio tecnológico, em um ambiente virtual 3D (terceira dimensão), os usuários poderão interagir com outros ambientes e situações relacionadas ao trânsito. Por meio do uso de óculos 3D, cada um vai ter a “vivência nas ruas” pontuando e recebendo orientações, de acordo com as ações realizadas durante a experiência.

O projeto tem um prazo limite de seis meses para ser concluído. E o objetivo do proposta é atrair, especialmente, os jovens para as questões relacionadas ao comportamento no trânsito.

Assim, por meio da aplicação de uma ferramenta tecnológica, as atividades são desenvolvidas em um ambiente atrativo, em complemento às atividades já executadas no “Centro Vivencial de Trânsito Engenheiro Sergio Gonçalves”. Só neste ano, o Centro já recebeu a visita de mais de sete mil alunos da rede pública e particular.

Este tipo de tecnologia possibilita a sensação de imersão e interatividade com ambientes artificiais. Inaugurado há cerca de dois anos, em setembro de 2016, o Centro Vivencial de Trânsito tem como objetivo formar uma geração de pedestres, ciclistas e condutores conscientes.

Atualmente, o local tem duas pistas de atividades para atender alunos do ensino infantil ao médio: uma coberta para as crianças e uma externa para os adolescentes. De acordo com o secretário municipal de Transportes, Rodrigo Fumis, “a realidade virtual nos dá a oportunidade dos alunos vivenciarem as práticas cotidianas do trânsito e assim aprendem mais sobre o que é adequado e o que deve ser evitado”, explicou. “Com certeza este mecanismo vai atrair ainda mais a atenção dos jovens, que aprenderão com mais facilidade”, analisa o secretário.

Na avaliação do diretor da Fatec Botucatu, Celso Joaquim Junior, “o projeto em parceria com a prefeitura é uma oportunidade para os alunos da Fatec aplicarem seus conhecimentos no desenvolvimento de um importante e atrativo instrumento de educação e conscientização para o trânsito, contribuindo para a formação dos futuros motoristas e usuários dos sistemas de trânsito”, destaca Joaquim Junior.

Registro no INPI

O laboratório de Realidade Virtual é focado no desenvolvimento de projetos multidisciplinares com aplicações de tecnologias de imagens 3D em ambiente virtual. A realidade virtual (RV) pode cooperar no aprendizado do aluno, agregando valor como uma ferramenta de disponibilização de conteúdo de forma intuitiva.

Este ano, a equipe do laboratório conquistou dois registros de programas de computador pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), pelos programas desenvolvidos para dois cursos, o de Radiologia e o do Agronegócio.

O registro do obtido junto ao INPI é importante porque confere o direito de impedir um terceiro, sem consentimento, de produzir, usar, colocar à venda, vender ou importar o processo patenteado. Aos titulares do registro é assegurado ainda o direito de obter indenização pela exploração indevida de seu produto ou processo registrado.

Outras áreas

Na área da Saúde, como no caso do projeto voltado à radiologia, o objetivo foi desenvolver um aplicativo para facilitar o entendimento e aprendizado de modelos ósseos utilizando a RV (veja foto no texto). Trata-se de uma “interface avançada do usuário” para acessar aplicações executadas em um computador, tendo como características a visualização de modelos em 3D e movimentação em ambientes tridimensionais em tempo real.

No laboratório, os alunos desenvolveram ainda um trator para plantio em realidade virtual. O projeto consiste em um mapa onde há uma área determinada para plantio, com o objetivo de simular a semeadura. Na ação, o usuário deve conduzir o trator na área preparada para receber as sementes e controlar a altura da semeadora, a fim de que seja acionada no momento correto da deposição. Além disso, o programa simula outros objetivos básicos de grande valor para uma boa operação logística e agronômica.