Publicado em

A atividade econômica do Estado de São Paulo recuou 1% em janeiro, com ajuste sazonal, na comparação com o mês anterior. Segundo a Fundação Seade, foi a pior variação para o Produto Interno Bruto paulista desde julho de 2018, quando o registro foi negativo em 1,2%.

O segmento industrial paulista apresentou retração de 2,5%. As empresas prestadoras de serviços registraram queda de 0,4%. Por outro lado, o PIB da agropecuária do Estado avançou 1,4%.

Para a Seade, estão se fortalecendo as tendências de desaceleração da economia paulista em 2019. Por isso, a projeção para a economia neste ano recuou de expansão de 1,3% para 0,9%.

“Tais tendências refletem a conjuntura atual, sem força de tração pelo lado do consumo e do investimento, reforçada por um crescimento expressivo das importações”, destacou, por nota, a Seade.

 

No acumulado de 12 meses, o PIB paulista avançou 1,2%, com ampliação na indústria (0,3%) e nos serviços (1,9%) e redução na agropecuária (-2,6%). A taxa de crescimento em 12 meses vem diminuindo, sistematicamente, desde julho.

Na comparação com igual mês do ano anterior, a atividade econômica paulista cresceu 0,6%. A agropecuária registrou retração (-0,4%), seguida pela indústria (-2,8%), enquanto o setor de serviços mostrou avanço de 1,9%.

A atividade econômica do Estado, calculada com base na média móvel dos últimos três meses finalizados em janeiro de 2019, cresceu 0,2%, com aumentos na indústria (0,1%) e no setor de serviços (0,3%). A agropecuária teve desempenho negativo (-0,4%)