Publicado em

Com um investimento projetado em R$ 70 milhões, São José dos Campos vai iniciar a construção de um distrito planejado de inovação com 308.961,92 metros quadrados (m²). O local visa integrar tecnologia, ciência, empreendedorismo e lazer. Denominada Cidade Tecnológica, a iniciativa vai ser uma extensão do Parque Tecnológico de São José dos Campos (PqTec).

O projeto, quase 43 vezes maior do que o estádio do Maracanã, de 7.140 m², surgiu para suprir uma demanda das empresas regionais instaladas no PqTec. “Percebemos que muitas companhias desistiam da instalação no Parque por falta de acomodação e de áreas de convívio social”, diz o diretor de novos negócios da Exto, incorporadora responsável pela construção da Cidade Tecnológica, Rodolfo Matos.

Segundo ele, em muitos casos, as empresas que desistem de permanecer no PqTec encontram suas instalações ideias em regiões distantes e não tão acessíveis. A Cidade Tecnológica será construída com acesso para a Estrada Joel de Paula, que fará ligação direta da marginal da Rodovia Presidente Dutra à Rodovia Carvalho Pinto. Além disso, será rodeada por ruas e avenidas asfaltadas e com ciclofaixa.

Apoio de peso

Cidade também será interligada com os campus da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), da Faculdade de Tecnologia de São José dos Campos (FATEC) e da a Universidade Estadual Paulista (Unesp).

O projeto foi desenvolvido em parceria com a prefeitura de São José dos Campos. A construção deve ser iniciada em março e a previsão de duração é estimada em 24 meses. A Cidade Tecnológica deve abrigar institutos de pesquisas, empresas e startups. Além disso, vai oferecer espaços para comércio e serviços, como prédios para moradia, hotelaria, restaurantes, farmácias, que colaborem para sua fluidez.

“Além de suprir as necessidades das empresas instaladas, a intenção é que a Cidade atraia moradores e visitantes e que estes tenham acesso a todos os serviços que precisarem”, explica o diretor de novos negócios.

A Exto vai iniciar a venda dos loteamentos do projeto em fevereiro. Ao todo, são 116 lotes e o Valor Geral de Vendas (VGV) esperado é de R$ 140 milhões. A Cidade será dividida em zoneamentos para o setor industrial, comércio e serviços, residencial e zona mista. Para efetuar reformas, manutenção e adaptações, quem adquirir os espaços deverá seguir as regras de cada zoneamento.

Infraestrutura

Quem estiver nas instalações do PqTec também pode usufruir da infraestrutura da Cidade. Algumas áreas do projeto também serão abertas para visitantes. “Partes do terreno serão de responsabilidade da prefeitura e todas elas vão ser livres para quem quiser conhecer. Ainda não sabemos se vão ser espaços verdes ou áreas culturais”, diz.

A expectativa, segundo o diretor de novos negócios, é que a Cidade não receba somente empresas de São José dos Campos, mas de toda a região do Vale do Paraíba, como Taubaté e Jacareí. A projeção em número Matos ainda não possui, mas espera que o fluxo de empreendedores e pessoas interessadas em tecnologia aumente com o projeto.

Somente o PqTec recebe cerca de 6 mil pessoas diariamente. Com 188 mil m², o espaço tem quase 300 companhias vinculadas, entre elas 76 empresas instaladas, 34 startups incubadas.