Publicado em

São José dos Campos - Um dos mais importantes espaços culturais da história de São José dos Campos, interior paulista, foi reativado no começo deste mês, depois de 17 anos fechado e de ter ficado sob péssimas condições de conservação.

Trata-se do Cine Teatro Benedito Alves da Silva, também conhecido como Cine Teatro São José, construído no final da década de 40 no centro da cidade.A reabertura marcou a entrega da primeira fase do projeto do Novo Centro, que tem recebido muitas críticas, mas mesmo os contrários as obras avaliaram como positiva a recuperação do cine teatro. O local já abrigou peças com diversos expoentes do teatro nacional como o mímico Ricardo Bandeira, Walmor Chagas, Cacilda Becker, Bibi Ferreira, diversos festivais de teatro amador, de dança, e espetáculos musiciais com Belchior, Bocato, Geraldo Azevedo, Grupo Kali entre outros.

A recuperação foi orçada, num primeiro instante, em R$ 1,8 milhão. No entanto, o total da obra que criou um anexo ao prédio principal, alcançou os R$ 2,2 milhões e demorou um ano para ser concluída. O espaço esteve fechado desde 1999 e quase se transformou num shopping e numa lanchonete, se não fosse a grande mobilização de artistas, antigos frequentadores e produtores culturais pela preservação do local.

As obras de revitalização do Cine Teatro Benedito Alves da Silva começaram em maio de 2015. Elas foram feitas pela Prefeitura de São José dos Campos, por meio da Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR). As condições internas do local eram péssimas, inclusive com várias infiltrações, problemas na estrutura do telhado, destruição do piso, palco e das cadeiras originais entre diversos outros problemas acumulados em duas décadas.

Neste processo, foram preservados elementos originais como a fachada externa, o ladrilho hidráulico do andar superior, a boca de cena e as colunas laterais que ainda estavam em bom estado de conservação.

Na época de sua construção, entre 1946 e 1950, o espaço pertencia à igreja católica e foi concebido pelo vigário da paróquia Padre João Guimarães para funcionar como salão paroquial. O que ocorreu até o começo dos anos 90, quando houve uma negociação com a cúria e a espaço cultural passou a pertencer ao município. Antes disto o espaço era alugado pela prefeitura para eventos culturais.

O Cine Teatro abrigou um cine clube por vários anos na década de 80, no qual eram exibidos filmes do circuito de cinema alternativo e cult, num acordo entre a fundação cultural e a igreja. Segundo levantamento da fundação cultural sobre a história do lugar, sua construção foi desenvolvida a partir de colaboração de fiéis e foi erguido aos poucos, conforme as necessidades da época. Um dos problemas na reforma atual, foi que algumas das características do prédio original estavam fora das determinações das normas de segurança exigida pelos bombeiros. Sendo preciso, então, fazer um projeto específico de revitalização para anexar as adaptações.

O espaço cultural terá agora aproximadamente 1.300 metros quadrados de área construída, com capacidade para 270 pessoas, e será voltado para apresentações de espetáculos teatrais, de dança, shows musicais e para projeção de filmes. Além disso, o Cine Teatro terá a Galeria Volpi, para as artes visuais. O novo espaço cultural é preservado pela lei municipal 8571/12, de 5 de janeiro de 2012.