Publicado em

A Prefeitura de São Paulo anunciou ontem (24) um aumento médio de 20% no tempo para a travessia de 12 vias da cidade. O objetivo da medida é aumentar a segurança dos transeuntes para reduzir o número de atropelamentos nas ruas da capital do estado.

No ano passado, 400 pedestres foram mortos nesse tipo de ocorrência, pouco mais que os 393 casos registrados em 2016, de acordo com dados do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga).

Na opinião de um especialista consultado pelo DCI, o aumento do tempo para cruzar as ruas é importante, mas não é o suficiente para diminuir o número de acidentes.

“Fora do centro expandido, muitas vias da cidade não contam com a infraestrutura necessária para que possa ser ampliada a duração das travessias. É necessária uma melhora da sinalização e da iluminação, principalmente das ruas da periferia, para que o número de mortes caia de verdade”, diz Américo Sampaio, gestor da Rede Nossa São Paulo.

Em relação aos atropelamentos na região central do município, o entrevistado diz que a principal vítima nesse tipo de acidente é o idoso.

“A mudança no tempo para travessia é especialmente importante para as pessoas de maior idade, que demoram um pouco mais para atravessar as ruas”, acrescenta Sampaio . Ele lembra que, com o envelhecimento da população, cada vez mais idosos devem viver em São Paulo nos próximos anos.

Em nota enviada à imprensa, a Prefeitura informou que a mudança no tempo de travessia faz parte do Programa Pedestre Seguro e compõe a lista de ações anunciadas durante a Semana da Mobilidade, que termina nesta terça-feira.

A ampliação do período para atravessar as vias vale nos seguintes endereços: Estrada de Itapecerica, Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, Avenida Engenheiro Caetano Álvares, Avenida Sapopemba, Avenida Senador Teotônio Vilela, Avenida José Pinheiro Borges, Avenida Aricanduva, Avenida dos Bandeirantes, Avenida Corifeu de Azevedo Marques, Avenida Eliseu de Almeida, Avenida Professor Ignácio de Anhaia Mello e Avenida Assis Ribeiro.

Mais segurança

Outra medida anunciada ontem é a implantação do programa Via Segura na Avenida Carlos Caldeira Filho, na zona sul da capital. Com início previsto para o dia 5 de novembro, a ação também busca aumentar a segurança dos pedestres, com melhorias na sinalização, colocação de agentes de fiscalização, instalação de novos radares e alterações viárias em pontos críticos.

Segundo a Prefeitura, o programa Via Segura teve sucesso ao ser implementado na região do M’ Boi Mirim, reduzindo o número de mortes de 15 para oito, entre julho do ano passado e igual período de 2018.