Publicado em

Os paulistanos poderão pagar suas passagens de ônibus com cartões de crédito e débito. A liberação do uso nos validadores das catracas dos ônibus da cidade será anunciada hoje pela Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo.

A novidade permitirá o embarque sem o uso do bilhete único, facilitando a maneira como o cidadão paga seu transporte atualmente.

O sistema vai utilizar a comunicação por campo de proximidade (NFC, na sigla em inglês), e ao que parece envolverá cerca de 200 ônibus da frota paulista. Segundo Alexandre Pinto, diretor de novos negócios da Matera, empresa especializada em desenvolvimento de tecnologias para o mercado financeiro, essa é uma situação em que o uso da NFC se encaixa muito bem. “Qualquer pessoa que possuir esse tipo de cartão conseguirá utilizar o recurso, o que por sua vez vai gerar uma comodidade bem interessante para o usuário, pois não vai precisar ir até o guichê comprar a passagem ou recarregar o bilhete nos pontos específicos”, explica, acrescentando que a tecnologia muito eficiente. “Mas é necessário um levantamento para saber qual a porcentagem da população se beneficiará dessa nova medida, visto que no Brasil existem mais de 60 milhões de pessoas que não possuem cartões”.

O especialista só questiona como funcionará o uso da internet por esses aparelhos, caso o ônibus se encontre em uma região com sinal mais fraco.

QR Code

Outra novidade recente em São Paulo foi a adoção da tecnologia do sistema de QR Code (um código de barras bidimensional que pode ser escaneado por smartphones), que já teve quase 22 mil vendas em sua primeira semana. Em fase de testes desde a terça-feira (3), o bilhete unitário com essa tecnologia passará ao todo por 45 dias de experiências em sete estações, quatro da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e três do Metrô de São Paulo.

“A implantação do QR Code foi muito boa, pois permitiu que população tenha acesso a meios de pagamentos mais simples e com maior segurança”, diz o professor de administração pública da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Matheus Delbon.

Ele acredita que em breve essa tecnologia poderá ser integrada a todas as linhas de trem e metrô, pois isso beneficiaria tanto para as empresas, que cortariam gastos, como para os usuários, que teriam maior simplicidade para o adquirir o passe. “Esse investimento a médio prazo cortaria gastos com segurança, por exemplo. Hoje são altos por conta do risco de assalto que os postos de venda possuem”.

Pagamento instantâneo

“Existe uma expectativa para que em breve sejam apresentados projetos de pagamentos instantâneos para serem utilizados em diversas situações do dia a dia, como na catraca do metrô ou no pagamento de uma conta”, afirma o diretor da Matera.

Segundo ele, as pessoas poderão escolher o aplicativo da fintech (startup da área financeira) que lhe der mais benefícios, baixar no seu celular e quando uma conta estiver próxima a data de vencimento ele receberá uma mensagem de aplicativos (push), autorizando ou não.

De acordo com Delbon, é difícil ver medidas como as que aconteceram com o Metrô, CPTM e os ônibus. “Geralmente, o poder público se mostra muito lento em relação a implantação de novas tecnologias financeiras.”