Publicado em

As calçadas de um quarteirão da Rua dos Pinheiros, importante via da zona oeste da capital, foram ampliadas ontem (5) – e seguirão assim por mais de um mês. O objetivo da ação, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), é valorizar a “convivência ao ar livre” e propiciar “mais segurança viária” aos pedestres.

Em nota, a companhia explicou que será ampliada uma área de 640 metros quadrados, onde serão colocados móveis, como bancos de madeira e puffs, em um desenho semelhante ao dos parklets que foram implementados em outras regiões da cidade. Com isso, 18 vagas de estacionamento rotativo (Zona Azul) ficarão desativadas até o dia 10 de dezembro.

A ideia foi proposta pelo Coletivo Pinheiros, que conta com a participação de comerciantes da região. Presidente do grupo, Vanêssa Rocha disse esperar que a intervenção seja permanente. “Queremos que os moradores e quem frequenta a região possam aproveitar mais o bairro e usufruir realmente do espaço público”, afirmou ela.

A iniciativa foi defendida pelo vereador Police Neto, que comanda a intervenção Caminhar Pinheiros. Segundo ele, a população está começando a entender que qualquer ação para melhorar a “experiência de se deslocar” pela cidade precisa “tratar o pedestre com a devida importância.”

A ampliação tem o apoio das áreas de Segurança e de Operação da CET. “[Foi] estabelecida uma configuração que atende às necessidades distintas para cada um dos usuários da via e, ao mesmo tempo, vai ao encontro dos princípios de segurança”, indicou a companhia de tráfego.

De acordo com a Caminhar Pinheiros, o trecho com extensão de calçadas ficará entre as ruas Cônego Eugênio Leite e Joaquim Antunes. Depois do dia 10 de dezembro, pedestres, comerciantes, moradores, motoristas, organizações civis e órgãos públicos serão consultados para decidir sobre o futuro da rua.

A Caminhar Pinheiros pretende levar a ampliação de calçadas para toda a via, segundo nota divulgada no site do projeto. Além de Police Neto e do Coletivo Pinheiros, participaram da formulação da iniciativa a Boldarini Arquitetos Associados e a PS.2 Design. A ação é patrocinada pela empresa de mobilidade urbana 99.

De acordo com a diretora de Políticas Públicas da 99, Ana Guerrini, o objetivo da companhia é criar áreas de convivência para os pedestres, “já que muitas pessoas estão deixando de usar o carro próprio” em São Paulo.

Mudança

Também em nota, Hannah Machado, coordenadora de Desenho Urbano e Mobilidade da Iniciativa Bloomberg, afirmou que a ampliação de calçadas, em São Paulo, segue uma tendência global de mobilidade.

“No mundo todo, áreas como esta estão sendo transformadas para aumentar o espaço de deslocamento e de convívio entre as pessoas, colocando a segurança dos pedestres em primeiro lugar”, disse ela.

Já o presidente da CET, Milton Persoli, afirmou que, para garantir a segurança dos transeuntes com a ampliação das calçadas, foram tomadas medidas para forçar os veículos a reduzir suas velocidades ao realizar manobras no local.

“Essa intervenção está em conformidade com os princípios do Programa Vida Segura [plano de segurança viária], que por sua vez adota o conceito de Visão Zero, para o qual nenhuma morte é aceitável no trânsito”, acrescentou ele.