Publicado em

São Paulo - A Prefeitura de Santos, em parceria com o Sindicato dos Empregados Terrestres em Transportes Aquaviários e Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Settaport), realiza até 1º de dezembro a Semana do Resíduo Eletrônico. Meta é recolher mais 40 toneladas na iniciativa inédita.

O objetivo da semana é conscientizar a população da importância da destinação correta dos resíduos eletrônicos e dar um maior apoio à população para o descarte adequado. Por meio da Fundação Settaport, serão disponibilizados aos munícipes e às empresas da região, 10 pontos de entrega voluntária (PEV's) em bairros como Gonzaga, Aparecida, Embaré, entre outros. Poderão ser descartados: televisores, monitores, computadores, teclados, mouses, peças, cabos, rádios, celulares, carregadores, aparelhos de som, eletrodomésticos, entre outros materiais que caracterizam lixo eletrônico (exceto tonners de impressão e lâmpadas, objetos que devem ser entregues nos próprios revendedores).

Além dos postos - que são serviços exclusivos da Semana - a fundação também fará sua ação cotidiana de recolhimento à domicílio ou comércio, mediante agendamento para toda a cidade.Segundo o coordenador de políticas ambientais da secretaria de Meio Ambiente, Marcus Fernandes, a Settaport é a mais indicada para essa ação em conjunto com a Prefeitura, tanto pela qualidade dos serviços, quanto pela destinação educativa desses resíduos.

"Essa fundação é referência aqui na cidade pois foi treinada pela Universidade de São Paulo (USP). Além disso, parte do material que recolhe, ela recondiciona e reutiliza em oficinas de inclusão digital". De acordo com ele, são sete salas de inclusão espalhadas por postos mantidos pelo sindicato. De todo o resíduo coletado durante a semana, uma parte vai para essas salas, outras para um bazar mensal do sindicato e o restante, sem muitas condições para ser reaproveitado, irá para a reciclagem tradicional.

Fernandes explica que a escolha dessa época do ano é propícia ao descarte. "A proximidade do Natal com o aumento no consumo, as pessoas acabam descartando o que tinha de antigo em casa. Além disso, o desligamento do sinal analógico gerou um aumento natural de TVs de tubo descartadas". A estimativa para a semana é que seja batida a meta da Settaport para o descarte. A fundação já recolheu 160 toneladas. Queremos bater sua meta para que feche o ano com 200".

De acordo com Fernandes, o intuito é que, após essa primeira edição, seja possível firmar a Semana do Resíduo todos os anos no município a partir de 2018, passando a ser duas vezes ao ano. Ele também ressalta que, apesar de não ser mais uma obrigação do município fazer a gestão desse tipo de resíduo, essa é a principal ação feita no momento.

"A política de resíduos sólidos estabelece que não cabe mais ao poder público a coleta, mas sim ao cidadão devolver à empresa o produto. Mesmo assim nós fazemos essa ação, porque entendemos que o nosso papel é o de sensibilização", conclui.