Publicado em

O Governo do Estado de São Paulo recebeu a análise das propostas de modelo ideal para o Novo Centro de Abastecimento Alimentar em São Paulo, o Novo Ceasa.

A avaliação, entregue na quinta-feira (12), teve como base aspectos como construção, implantação, modelagem operacional, econômico-financeira e jurídica e impacto ambiental. A partir desse relatório, o Governo Estadual desenvolverá o edital para a concessão e implantação do Novo Ceasa.

O projeto escolhido deveria ser anunciado, inicialmente, no dia 11 de maio. Porém, o Estado prorrogou o prazo por mais 60 dias para finalizar a preparação dos documentos, as aprovações competentes e afins.

“A Comissão responsável por examinar as propostas do Novo Centro de Abastecimento Alimentar em São Paulo (Novo Ceasa) deve finalizar nas próximas semanas o relatório com a análise dos estudos sobre as propostas de implantação, impacto ambiental, operação e manutenção do novo centro. Assim que concluído, será entregue à Secretária de Governo. O documento subsidiará o edital de concessão”, diz a Secretaria de Agricultura e Abastecimento por meio de nota.

Propostas

O Governo recebeu quatro projetos para a implantação, operação e manutenção do novo entreposto de instituições que atenderam ao chamamento público, feito em outubro de 2017.

O propósito do edital é resolver os problemas do Ceasa, construído na década de 1960, e também as questões de toda a zona cerealista que, de acordo com o Governo, gera prejuízos aos moradores de São Paulo.

“O edital foi feito para dimensionar um novo entreposto, que comporte ambos os projetos, permitindo uma reurbanização da região”, disse o então secretário-adjunto de Agricultura e Abastecimento, Rubens Rizek, durante a apresentação das propostas no mês de março.

Como pré-requisito, todas as localizações sugeridas pelos grupos deviam ser conectadas ao Rodoanel Mário Covas, por acessos já existentes ou previstos, para facilitar a chegada e a distribuição dos produtos.

Apresentaram propostas os grupos Benvenuto Engenharia, com terreno na Zona Norte da capital; Consórcio Ideal Partners, com terreno em Santana do Parnaíba; Consórcio Fral, com terreno em Barueri; e o Novo Entreposto de São Paulo (NESP), que apresentou um modelo de convênio e não de concessão como os outros, com terreno em Perus.

Os autores das ideias que forem utilizadas no edital serão ressarcidos pelo futuro concessionário em até R$ 2,5 milhões.