Publicado em

A Agência São Paulo de Desenvolvimento (Adesampa), da Secretaria Municipal de Trabalho abriu a 3ª edição do Programa Valorização de Iniciativas Tecnológicas (Vai Tec). A iniciativa visa dar apoio educativo e financeiro para futuros jovens empreendedores das periferias paulistanas.

Com o objetivo de apoiar atividades inovadoras ligadas à Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), desenvolvidas por jovens de baixa renda, essa edição está de cara nova e ainda mais atrativa. Agora, o programa conta com o apoio educativo para os jovens empreenderem (anteriormente era oferecido apenas o apoio financeiro).

Para isso, as atividades foram divididas em quatro etapas, totalmente independentes entre si, que contemplarão as zonas Norte, Sul e Leste. As duas primeiras irão proporcionar atividades de capacitação sobre empreendedorismo. As demais serão para colocar ideias na prática e desenvolver os projetos.

Segundo a diretora do Adesampa, Thaís Piffer, a iniciativa de ampliar os serviços se deu pela quantidade de trabalhos inscritos nas edições anteriores.

“Recebíamos 600 projetos em média. Vimos um potencial desperdiçado pois muitos jovens poderiam ter acesso a conteúdos que os ajudariam a empreender. Por isso passamos a oferecer estudo e mentoria para que possam se desenvolver sustentáveis e gerar negócios”, explica.

A 1ª etapa, chamada de Inspiração, já aconteceu na Zona Sul, no dia 14 deste mês e na Leste, no dia 12. Esta fase inicial, que oferece 1.200 vagas, visa disseminar a cultura empreendedora, com palestras e debates sobre o assunto. “Trouxemos empreendedores dessas próprias regiões que compartilham suas trajetórias, desafios e dão dicas.” A próxima zona beneficiada com essa etapa será a Zona Norte, no mês de janeiro.

Mais jovens

Na 2ª etapa, de Ideação, serão oferecidas 300 vagas e o objetivo é o de fomentar o desenvolvimento de ideias por meio de oficinas e dinâmicas em grupo. A 3ª fase, de Validação, fornecerá ferramentas e capacitação para tirar a ideia do papel e transformá-la em modelo de negócio. “A inscrição não é mais de pessoas e sim de projetos, que serão previamente selecionados, com 72 escolhidos. Além da orientação de facilitadores para amadurecer um modelo de negócio”, disse Thaís. Na 4ª etapa, Pré-Aceleração, serão selecionados 24 projetos, distribuídos pelas três zonas, com financiamento de até R$ 32 mil cada.

“Além disso, eles vão receber mentoria e workshops”, explica Thaís. Ela acredita que esse novo modelo irá atrair mais jovens. “Na última edição foram 786 projetos inscritos. Nesta temos a expectativa de ter mais de 800 projetos candidatados”, disse.