Publicado em

As vendas do comércio paulista no Dia dos Pais devem crescer até 3%, segundo estimativa divulgada ontem (23) pela Federação das Câmaras Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP).

A estimativa de um avanço dessa proporção foi compartilhada por 45% das representantes regionais consultadas para a realização do levantamento. Outras 18% acreditam que a alta das vendas pode chegar a 5%.

O crescimento tímido na comparação com o ano passado, quando o País ainda estava em recessão, deve-se à retomada lenta da economia, afirma Mauricio Stainoff, presidente da FCDLESP. Na visão dele, as incertezas políticas e econômicas impedem uma expansão mais significativa do consumo.

Dessa forma, os filhos devem optar por presentes mais baratos no próximo Dia dos Pais. Segundo Stainoff, os segmentos de vestuário, calçados e perfumaria tendem a faturar mais.

O levantamento da federação indica que o valor médio das compras deve ficar entre R$ 100 e R$ 150. Nas cidades pequenas e médias do interior paulista, contudo, os gastos devem ser inferiores (entre R$ 60,00 e R$ 100,00).

Por região

Na capital do Estado, boa parte das representantes regionais espera um avanço de até 3% nas vendas. É o caso das câmaras dirigentes de Bom Retiro, região central conhecida pela venda de vestuário, e de São Lucas, na zona leste, onde há maior presença de famílias mais pobres.

No interior do Estado, chama atenção a expectativa para a cidade de Barretos. Após registrar um avanço de 3% nas vendas no Dia dos Pais de 2017, os representantes locais projetam um avanço de 5% em 2018, com destaque para o setor de alimentos. Já em Piracicaba, é esperado aumento de até 3%, puxado pelas vendas do setor de confecções.