Publicado em

A Secretaria Municipal de Mobilidade de Salvador contabilizou 30 micro-ônibus do sistema complementar vandalizados durante manifestações nesta sexta-feira, 14, dia de greve geral convocada pelas centrais sindicais do País. Os veículos seriam usados para reduzir o impacto da falta dos ônibus da frota regular, que não saiu das garagens.

Segundo a secretaria, um dos veículos foi atingido por um tiro.

"Estou aqui manifestando a minha insatisfação, o meu protesto como prefeito e cidadão que pouquíssimas pessoas possam interditar as avenidas, queimar pneus, depredar ônibus, com atos de violência. Não é razoável que isso aconteça em nome do direito de se manifestar", disse o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

Ele ressaltou, porém, ser favorável ao direito de se manifestar, "mas não de forma violenta".

A Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador estimou que dos 315 km de trânsito monitorados na cidade, houve congestionamento em 131 km.

Na estação rodoviária, cerca de 200 viagens de ônibus foram canceladas durante a manhã, em decorrência da adesão dos rodoviários ao movimento.