Publicado em

O investimento global em capitais de risco foi de U$ 52 bilhões distribuídos em 3.045 negócios pelo mundo. Destes, os países das Américas somaram U$ 28,9 bilhões em 2.056 operações. No Brasil, o valor foi de US$ 300 milhões.

Os dados são do Venture Pulse, estudo trimestral da KPMG, responsável por analisar as tendências de capital de risco e de analisar os principais dados relacionados à tecnologia financeira em regiões-chave, incluindo a América Latina, América do Norte, Ásia e a Europa.

"No geral, a principal tendência a ser observada em relação à captação recente e robusta de recursos financeiros é que o grande volume de capital viabilizará a realização de negócios em escalas maiores. Dessa forma, o desafio para os investidores está relacionado em adotar as estratégias com disciplina", analisa o diretor da KPMG, Raphael Vianna.

Ainda de acordo com a pesquisa, investidores acreditam no potencial do Brasil, principalmente no campo da inovação, e preveem ascensão. No terceiro trimestre de 2018, a plataforma eletrônica Movile e a fintech Nubank totalizaram o valor de R$ 274 milhões.

"Apesar dos desafios locais observados, podemos observar o aumento de interesse de empresas de tecnologia e o investimento de capital de risco é robusto no país. Nesse cenário, outro fator positivo é que os grandes negócios não são limitados ao estágio final de investimento", conclui.