Publicado em

A maioria da população brasileira apoia o estabelecimento de uma idade mínima para aposentadoria. A pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira - Reforma da Previdência, divulgada nesta quarta-feira, 8, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e feita em parceira com o Ibope, revela que 72% dos entrevistados concordam com a idade mínima para se aposentar. Esse porcentual cresceu em relação a 2015, quando 65% dos brasileiros concordavam com esse ponto da reforma.

"Os resultados indicam que a população está criando cada vez mais consciência da necessidade de uma idade mínima de aposentadoria, posto que as pessoas estão vivendo cada vez mais tempo", diz a pesquisa.

Apesar disso, quando interrogada se as pessoas deveriam se aposentar cada vez mais tarde, já que estão vivendo mais, a maioria dos entrevistados se mostrou contrária.

Nesta edição da pesquisa, 73% dos que responderam discordam dessa afirmação. Em 2015, esse porcentual representou 75% da população.

Por outro lado, está aumentando a percepção de que os brasileiros se aposentam mais cedo do que em outros países. Em 2015, 18% acreditavam que no Brasil as pessoas se aposentam mais cedo do que em países desenvolvidos, como Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e França. Agora, esse porcentual aumentou para 24%.

Mesmo assim, revela a pesquisa, os brasileiros ainda defendem a aposentadoria em idades muito baixas. Segundo a pesquisa CNI/Ibope, 80% dos entrevistados acham que as pessoas deveriam se aposentar com 60 anos ou menos, enquanto que 19% defendem a aposentadoria com 61 anos ou mais.

Em 2007, apenas 8% dos brasileiros tinham esse entendimento de que as pessoas deveriam se aposentar com 61 anos ou mais.

Impostos

A pesquisa da CNI mostra ainda que 83% dos brasileiros não estão dispostos a pagar mais impostos para manter o atual sistema previdenciário. Além disso, 59% defendem que o problema da falta de dinheiro da previdência deve ser resolvido com mudanças nas regras de aposentadorias e pensões.

Para 33% dos brasileiros, as regras só deveriam mudar para quem ainda não contribui para a Previdência. Outros 26% apoiam a mudança do sistema para quem já contribui, mas ainda não se aposentou, enquanto outros 21% defendem a manutenção das regras atuais e que o dinheiro necessário para cobrir o déficit da Previdência deveria vir do aumento de impostos.

A pesquisa, feita pelo Ibope Inteligência, ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre os dias 12 e 15 de abril. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.